Diário de São Paulo
Siga-nos
Intestino preso?

Homem passa por cirugia às pressas após inserir garrafa plástica no reto e imagem impressiona

O iraniano demorou para buscar ajuda pelo motivo de ter inserido o objeto no local

Após reclamar de intestino preso o paciente teve que realizar cirurgia de emergência - Imagem: reprodução Freepik
Após reclamar de intestino preso o paciente teve que realizar cirurgia de emergência - Imagem: reprodução Freepik

Publicado em 15/07/2022, às 16h58 Vitória Tedeschi


Um homem iraniano, de 50 anos, foi levado ao hospital após reclamar de dores no estômago, falta de apetite e principalmente contipação - mais conhecida como intestino preso.

O que parecia ser um caso comum, na realidade se mostrou atípico, quando o paciente foi submetido a uma tomografia que revelou a razão do desconforto: uma garrafa de plástico de 250ml inserida no reto.

O caso que aconteceu no início deste ano foi apenas reportado na última quinta-feira (14) pela revista Clinical Case Reports, que também contou que o homem demorou para buscar ajuda por receio da reação de sua mulher ao descobrir o que realmente havia acontecido.

garrafa-no-reto
A garrafa de 19 cm ficou presa no intestino grosso do homem / Imagem: reprodução Clinical Case Reports / @hugogloss

A equipe do hospital em que ele foi atendido não relatou se o homem explicou o motivo do ato. No entanto, os médicos afirmaram que, na maioria das vezes, casos semelhantes acontecem pois os pacientes procuram satisfação sexual com objetos inusitados.

"Por causa do constrangimento e do medo da esposa, ele não forneceu o histórico do que havia acontecdio para explicar a presença do objeto no reto e chegou à emergência do hospital tardiamente", explicaram os médicos do Hospital Imam Khomeini, que fica na capital do país de origem do paciente

O objeto encontrado dentro do corpo do homem, na região pélvica, a 10 milímetros da abertura do ânus, tinha 19 cm e estava entre o reto e o cólon na região do intestino grosso. Ainda de acordo com a revista, o homem inseriu o fundo da garrafa antes, na intenção de retirá-la depois pela tampa. Mas não conseguiu extrair o item, que ficou alojado em seu órgão.

Após a descoberta, os médicos o encaminharam às pressas para uma cirurgia de retirada da garrafa, onde não houve nenhuma complicação ou sangramento. Exames posteriores também mostraram que nenhum órgão interno foi perfurado ou sofreu lesão. Ele recebeu alta depois de três dias no hospital e foi diretamente levado para uma clínica psiquiátrica por apresentar histórico de depressão.

Compartilhe