Diário de São Paulo
Siga-nos
Inteligência Artificial

Governo busca proibir Meta de usar dados de usuários para treinar IA

Meta afirma que o treinamento de IA está de acordo com as leis do Brasil

Meta afirma que o treinamento de IA está de acordo com as leis do Brasil - Imagem: Reprodução / Olhar Digital
Meta afirma que o treinamento de IA está de acordo com as leis do Brasil - Imagem: Reprodução / Olhar Digital

Gabriela Thier Publicado em 02/07/2024, às 16h26


A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) determinou a suspensão dos novos termos da Meta, empresa de tecnologia responsável pelo Facebook, Instagram e Whatsapp, que autorizam o uso de dados pessoais dos usuários para o treinamento de Inteligências Artificiais Generativas.

O despacho da ANPD, que foi publicado no "Diário Oficial da União" nesta terça-feira (2), impõe uma multa de R$50 mil por cada dia em que as regras sejam descumpridas. Além da ANDP, os novos termos de privacidade da empresa também foram questionados pelo Instituto de Defesa dos Consumidores (Idec) e pela Autoridade Irlandesa de Proteção de Dados (DPC, na sigla em inglês).

A Meta, se denfendeu em nota afirmando que o procedimento está de acordo com a legislação brasileira e se referiu a suspensão como “retrocesso”: "Treinamento de IA não é algo único dos nossos serviços, e somos mais transparentes do que muitos participantes nessa indústria que têm usado conteúdos públicos para treinar seus modelos e produtos. "Nossa abordagem cumpre com as leis de privacidade e regulações no Brasil, e continuaremos a trabalhar com a ANPD para endereçar suas dúvidas. Isso é um retrocesso para a inovação e a competitividade no desenvolvimento de IA, e atrasa a chegada de benefícios da IA para as pessoas no Brasil”, explica a empresa.

Compartilhe  

últimas notícias