Diário de São Paulo
Siga-nos
Pacto Brutal - Glória Perez

Vídeo: Guilherme Pádua, que assassinou atriz, dá sua opinião sobre documentário da morte de Daniella Perez

O assassino da atriz de apenas 22 anos também ameaçou dar sua versão dos fatos

O assassino da atriz de apenas 22 anos também ameaçou dar sua versão dos fatos - Imagem: reprodução Youtube Guilherme de Pádua / HBO Max
O assassino da atriz de apenas 22 anos também ameaçou dar sua versão dos fatos - Imagem: reprodução Youtube Guilherme de Pádua / HBO Max

Publicado em 25/07/2022, às 15h40 Vitória Tedeschi


Guilherme de Pádua,condenado pelo assassinato da atriz e bailarina Daniella Perez, filha de Glória Perez,usou seu canal do Youtube para falar sobre a série Pacto Brutal, da HBO Max, que narra o crime cometido por ele em 1992.

Os episódios, que lançaram na última quinta-feira (21), foram criticados pelo ex-ator que reclamou do resultado e chegou a afirmar que a produção foi "totalmente parcial". Além disso, Guilherme ameçou contar sua versão do crime que cometeu com sua ex-esposa Paula Nogueira Tomás, já que não foi chamado para dar seu depoimento.

Ele conta que em maio de 2020 abandonou as redes sociais, que enxergava como uma forma de "dar uma espécie de satisfação a sociedade", e que agora está voltando pela repercussão da série sobre a morte de Daniella Perez,que, segundo ele, causou o surgimento de "notícias falsas".

“Você vai assistir uma série totalmente parcial. O que significa isso? Um trabalho de investigação, um jornalismo investigativo, ele pretende trazer à luz todas as evidências, as provas e apresentar as hipóteses, que cabem, com a dinâmica do que foi descoberto, com as provas, com as perícias”, disse criticando a produção.

Guilherme ainda completou sua crítica: "Eu consigo quebrar de forma devastadora algumas das teses que estão sendo apresentadas. A HBO, tão famosa, tão profissional, deu uma bobeira dessas, deixou essa lacuna para que um concorrente possa apresentar as provas, as evidências que estão sendo ocultadas de você que está assistindo essa série".

Confira o vídeo do relato abaixo:

Guilherme de Pádua foi condenado a cumprir 19 anos de prisão pela morte de Daniella. E apesar de ter cumprido apenas sete anos em regime fechado, hoje, aos 52 anos se tornou pastor de uma igreja evangélica de Belo Horizonte.

Compartilhe