Diário de São Paulo
Siga-nos

Do amor pela bandeira

Imagem: Reprodução | Grupo Bom Dia
Imagem: Reprodução | Grupo Bom Dia

Publicado em 19/07/2022, às 08h38 Rodrigo Sayeg


Essa semana tivemos inúmeras discussões sobre a nossa Bandeira Nacional. Como vimos, o TRE-RS (Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul), decidiu que a bandeira do Brasil não é objeto partidário. Essa decisão veio após o entendimento de que o uso da bandeira seria considerado como propaganda política, uma vez que este símbolo nacional tornou-se marca de um lado da política, sendo que a bandeira brasileira tem sido usada constantemente pela pré-campanha do presidente Jair Bolsonaro.

Com todo o respeito ao entendimento exarado, corretamente revogado pelo TRE-RS, mas esta é a prova viva do dissenso coletivo que assola nosso país.

Conforme afirmou a Constituição Federal, em seu artigo 13, são símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo nacionais.

Este símbolo é de TODOS OS BRASILEIROS SEM EXCEÇÃO, não importando seu viés ideológico, condição social, raça, etnia, gênero etc. Ninguém pode se apropriar deste símbolo que é para significar a união da nossa nação.

O nosso Presidenteestá mais do que certo em exaltar a bandeira nacional em sua pré-campanha, justamente porque ela é o símbolo de União de todos os Brasileiros. Sua conduta neste aspecto, deveria inclusive servir de exemplo para todos os candidatos, em todos os níveis, que deveriam carregar a mensagem de Brasil em primeiro lugar, ao invés de promover uma agenda pessoal ou política.

De fato, assumir que a bandeira representa apenas um lado da política é afirmar que a nossa democracia falhou, e que em verdade somos duas nações irreconciliáveis, divididas por linhas ideológicas, ironicamente marcada pela apropriação de um símbolo que foi criado para nos unir.

Época eleitoral não é o momento de se destruir os nossos símbolos nacionais, muito menos afirmar que eles representam outra coisa que o cidadão Brasileiro, seja ela ou ele quem for, acreditando no que melhor lhe entender.

Dividir a nação agora nos levará ao absurdo caminho do irreconciliável, no qual apoiar a Bandeira, o País e a União indissolúvel que criamos é equivalente a um posicionamento político. Apenas para ilustrar o absurdo, na Copa do Mundo para não mostrar apoio à determinado candidato, seus opositores terão que torcer para a Argentina.

É triste ver que a mentalidade fla x flu na política só se acirra a cada dia que passa. O que nos leva à nossa missão caro leitor, de recuperar a Bandeira Nacional para o Brasileiro.

Compartilhe