Diário de São Paulo
Siga-nos
COLUNA

Independência ou morte

Quadro 'Independência ou Morte'. - Imagem: Reprodução | NIELS ANDREAS
Quadro 'Independência ou Morte'. - Imagem: Reprodução | NIELS ANDREAS

Ricardo Sayeg Publicado em 06/09/2022, às 09h25


Há 200 anos, um Leão rugiu para Portugal e todas as Nações e Povos da Terra.

O nome do Leão era Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon, Príncipe Regente do Brasil.

Seu rugido, aos 7 de setembro de 1822, foi de “Independência ou Morte”, ouvido e respeitado por todos os cantos do Planeta.

O Leão foi um grande soldado e lutou pela nossa independência, subjugando as tropas portuguesas contrarrevolucionárias, assim como preservando nossa unidade nacional, que hoje nos faz um dos maiores e mais importantes Países do Mundo, determinando nossa vocação de farol da Humanidade.

Neste glorioso dia nasce a nossa poderosa Nação, cujo destino está sacramentado em nossa Constituição da República que nos institui em um Estado Democrático de Direito, com o objetivo fundamental de edificação de uma sociedade livre, justa e solidária; desenvolvida política, econômica, social, cultural e tecnologicamente; erradicadora da pobreza e da marginalização; redutora das desigualdades sociais e regionais; e, promotora do bem de todos sem preconceito ou qualquer forma de discriminação.

Somos uma Nação fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, que tem por fim assegurar à todos existência digna conforme os ditames da Justiça em uma sociedade fraterna.

Nossa sagrada Bandeira, carrega o verde da natureza e da responsabilidade ambiental; o amarelo do ouro e da prosperidade nacional; o azul do céu e da esperança; o brilho das estrelas orientador dos caminhos da Humanidade e marco da infinitude do Universo; assim como, a divisa de “Ordem e Progresso”.

Através de nosso Hino cantamos: “verás que um filho teu não foge à luta; nem teme, quem te adora, a própria morte. Terra adorada. Entre outras mil, és tu, Brasil. Ó Pátria amada!”

Nossa gente é guerreira e nunca desiste, porque o Brasilsempre atravessou tempos difíceis que gera um povo forte, inabalável e indestrutível.

Somos um Povo lutador, de gente séria, trabalhadora e honesta. Não somos terra de bandidos.

Nossa gente é de fibra e as vezes até rude, diante de tanta luta e tantos desafios que foram e serão travados e vencidos pelo Povo Brasileiro.

Assim é o Líder de nossa Terra Brasilis, Presidente da República Jair Bolsonaro, um Leão Guerreiro que nunca desiste, veio do seio do povo, sem qualquer destaque ou privilégio, enfrentou muitas lutas e desafios, combatidos corajosamente, vítima de atentado covarde pela vil facada, sangrou pela Nação, mas recusou-se a sucumbir.

Um lutador, sério, trabalhador e honesto, que nos conduz a uma perspectiva de paz e prosperidade, com felizes projeções de evolução de nossa riqueza nacional, sem descuidar do auxílio emergencialaos vulneráveis, garantindo para as famílias pobres a transferência direta de renda e a comida quente pelo acesso ao gás de cozinha.

Este é um Soldado de Artilharia e Paraquedista preparado, Capitão do Exército Brasileiro, Bacharel em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras, aclamada como “Forja de Líderes”.

Na Academia Militar recebeu especial atenção na sua formação ética e moral, com destaque quanto à integridade, honradez, honestidade, lealdade, senso de justiça, disciplina, patriotismo e camaradagem, que lhe tornou um cidadão com os mais nobres sentimentos de servir à Nação Brasileira, comprometido com o Exército e capaz de participar da defesa da Pátria.

Em 2022! 200 anos depois, do coração do Brasil, Brasília, Planalto Central, o Leão Guerreiro, guardião de nossa Independência, que não foge à luta, nem teme e nos adora a própria morte, está a rugir!  

Compartilhe  

últimas notícias