Diário de São Paulo
Siga-nos
Clima tenso

Possível visita de Nancy Pelosi gera tensão entre China e EUA; entenda

Biden pede para episódio não se tornar escalada de tensão entre os dois países

Biden pede para episódio não se tornar escalada de tensão - Imagem: Pixabay / Wikimedia Commons
Biden pede para episódio não se tornar escalada de tensão - Imagem: Pixabay / Wikimedia Commons

Publicado em 02/08/2022, às 09h47 João Perossi


A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, causou tensão entre China e EUA nessa semana. A representante estadunidense fez viagem à Ásia e pretende passar por quatro países, começando por Singapura.

A tensão entre as duas superpotências começou com a possibilidade de Nancy vistar Taiwan, província em constante disputa entre autoridades chinesas e rebeldes. Uma visita de uma autoridade norte-americana pode colocar em dúvida a posição do país quanto à ocupação de Tawian, e gerar uma crise diplomática mais grave.

Embora aconselhada publicamente porJoe Biden à não ir para Taiwan, o presidente estadunidense fez ligação com Xi Jinping, segundo noticiou a CNN, semana passada, e que disse que Nacy Pelosi possui a liberdade para escolher o destino das próprias viagens, uma vez que é uma representante máxima dos Estados Unidos da América.

O presidente também rogou que esse acontecimento não dificulte ainda mais a relação diplomática entre as duas potências.

O episódio ocorre num contexto de baixa diplomacia entre os dois países. Sobre a viagem, o porta-voz do Conselho de Segurança norte americano John Kirby fez declaração em tom apaziguador:

“Não há razão para Pequim transformar uma visita em potencial, consistente com a política de longa data dos EUA, em algum tipo de crise ou conflito, ou usá-la como pretexto para aumentar a atividade militar agressiva dentro ou ao redor do Estreito de Taiwan”, disse em coletiva de imprensa nessa segunda-feira (01).

Compartilhe