Diário de São Paulo
Siga-nos

Ministério Público abre inquérito para investigar situação de abandono dos 22 cemitérios da cidade de São Paulo

Imagem Ministério Público abre inquérito para investigar situação de abandono dos 22 cemitérios da cidade de São Paulo

Publicado em 11/07/2022, às 00h00 - Atualizado às 09h07 Redação


O Ministério Públicode São Paulo abriu um inquérito para apurar o abandono nos 22 cemitérios municipais da capital paulista, que sofrem com roubos, furtos e depredações há vários anos.

Para a promotoria, a situação de abandono em que vários cemitérios se encontram já causa danos ao patrimônio histórico e cultural da cidade, em virtude da falta de cuidado, conservação de túmulos e de segurança.

No inquérito, os promotores justificam que os cemitérios deveriam ser protegidos pela gestão municipal, mas o Poder Público vem se eximindo da questão ao longo de várias gestões de prefeitosde diferentes partidos, sem adoção de medidas efetivas para a conservação de bens públicos.

Exigências do MP-SP à Prefeitura de São Paulo no inquérito aberto para investigar cemitérios da capital paulista. — Foto: Reprodução/TV Globo

Exigências do MP-SP à Prefeitura de São Paulo no inquérito aberto para investigar cemitérios da capital paulista. — Foto: Reprodução/TV Globo

A investigação pede que a Prefeitura de São Paulo forneça uma relação completa dos construtores e prestadores de serviço cadastrados nos cemitérios da cidade, com informação sobre como eles foram selecionados e a devida licitação de cada um deles.

Eles também pedem a indicação das empresas que vendem caixões, flores e outros produtos para velórios e enterros, com os valores cobrados, além de um relatório atualizado com a situação de cada um dos 22 cemitérios da capital.

O que diz a Prefeitura de SP

A gestão Ricardo Nunes (MDB) diz que recebeu a notificação do Ministério Público e vai responder aos questionamentos dentro do prazo, que é no fim deste mês.

Desde 2017, a capital tenta privatizar os cemitérios municipais e o crematório da Vila Alpina, sem sucesso. O Tribunal de Contas do Município (TCM) já suspendeu pelo menos cinco vezes o edital de concessão, por problemas administrativos e comerciais. A última vez foi em maio.

Agora, a prefeitura afirma que todas as determinações do TCM foram acatadas e que publicou o edital para concessão no fim de junho e as propostas das empresas devem ser entregues até 26 de julho.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), durante evento de homenagem a Bruno Covas, nesta terça-feira (12). — Foto: Divulgação/Secom/PMSP

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), durante evento de homenagem a Bruno Covas, nesta terça-feira (12). — Foto: Divulgação/Secom/PMSP

Compartilhe