Diário de São Paulo
Siga-nos
Crime

Pai de Bruno Krupp fala pela primeira fez sobre o acidente e sai em defesa do filho

O pai do modelo condenado por matar um menino de 16 anos revelou detalhes do atropelamento

Pai de Bruno Krupp fala pela primeira fez sobre o acidente: "Ele dirigia a 100km/h" - Imagem: reprodução Instagram
Pai de Bruno Krupp fala pela primeira fez sobre o acidente: "Ele dirigia a 100km/h" - Imagem: reprodução Instagram

Publicado em 03/08/2022, às 16h23 Vitória Tedeschi


Nesta quarta-feira (3), o pai de Bruno Krupp, preso preventivamente pelo atropelamento que resultou na morte do adolescente de 16 anos, João Gabriel Cardim Guimarães, falou pela primeira vez sobre o caso em entrevista ao GLOBO.

José Darcy Krupp Filho, pai de Bruno, afirmou que o jovem estima que estivesse pilotando sua moto no momento do acidente a cerca 100 quilômetros por hora, acima da máxima permitida da Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste, mas aguarda a perícia da Polícia Civil no veículo.

"Meu filho acredita que dirigia a aproximadamente 100 quilômetros por hora,quando a vítima saiu e atravessou para o meio da rua, fora da faixa de pedestres, e voltou, sendo a batida inevitável. Mas posso garantir que em momento algum ele se furtou a responder pelos seus atos, não fugindo do local nem se esquivando de prestar qualquer tipo de esclarecimento. No momento, ele se encontra hospitalizado, com suspeita de uma fratura em duas vértebras. Infelizmente, aconteceu um acidente, uma fatalidade. Nos solidarizamos a dor da família e estamos à inteira disposição para ajudar no que for necessário", afirmou o gerente de gases industriais ao GLOBO.

O pai do modelo ainda acrescentou que, Bruno havia saído de casa, um flat na orla da Barra, para jantar com a namorada, em um restaurante na Rua Olegário Maciel, no mesmo bairro e nega que o filho tenha ingerido bebida alcoólica.

Além disso, o advogado Willian Pena, que representa Bruno Fernandes Moreira Krupp,confirmou que o modelo estava acima da velocidade permitida na Avenida Lúcio Costa, mas afirmou que a vítima “subitamente” surgiu na via, atravessando fora da faixa de pedestres.

"Ele disse que, segundos após dar uma arrancada com a moto, houve o choque. Mas o velocímetro ainda será avaliado pela perícia. Além disso, confirmou ter tirado a Carteira Nacional de Habilitação há cerca de 15 dias e que o veículo estava emplacado até o momento do acidente, quando a placa caiu. É importante frisar também que não houve dolo de matar e os eventos anteriores não são antecedentes lógicos do resultado final", afirmou.

Assim como João Gabriel Cardim Guimarães,ele foi levado em uma ambulância do Corpo de Bombeiros ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas só foi informado do falecimento do estudante pelos familiares ontem, devido a um quadro de depressão que já apresentava.

Ao contrário do que circulou sobre sua alta do hospital, Bruno Krupp ainda não tem previsão de sair da unidade de saúde. O modelo, de 25 anos, que está internado desde a noite do último domingo, dia 31, passa, nesta tarde (3), por uma cirurgia para reparação da pele dos braços e das pernas atingida no acidente.

Compartilhe