Diário de São Paulo
Siga-nos
Mistura cultural

Em Santos, feira internacional mistura negócio, música, comida típica e cultura; tem até um bonde de verdade

O evento que termina reúne especialidades em diversos setores, além de oferecer conhecimento e entretenimento.

Imagem: reprodução Prefeitura de Santos
Imagem: reprodução Prefeitura de Santos

Publicado em 21/07/2022, às 21h42 Jair Viana


Uma feira onde reúne artesanato, cinema, design, gastronomia, música, cultura e muitas novidades são atrações até nesta sexta-feira (22) em Santos, litoral sul de São Paulo. É um evento para dar ânimo ao mercado pós-pandemia.

Uma visita a Expo Cidades Criativas Brasileiras, no Blue Med Convention Center, na Ponta da Praia, é um convite à cultura nacional nas suas mais variadas formas. A entrada é gratuita, e o evento reúne iniciativas de diversos municípios da rede criativa da Unesco e vai até sexta-feira (22), das 10h às 20h.

No pavilhão de atrações, o visitante vai encontrar uma ampla variedade de serviços existentes em Santos, a cidade anfitriã. Informações sobre qualificação profissional e mercado de trabalho nos estandes da DP World, Gelog e Sebrae.

E o espaço Visite Santos, onde uma série de empresas locais disponibiliza produtos e serviços nas áreas de turismo e eventos e é ideal para networking, troca de experiências e realização de negócios.

Outros dois espaços chamam a atenção do público, especialmente para quem deseja registrar o passeio nas redes sociais. Uma réplica do bonde santista serve de cenário parafotos, além de uma estrutura com braço automatizado com uma câmera que faz vídeos em 360 graus. São tomadas aceleradas e em slow motion que garantem um vídeo divertido para os visitantes.

Com o título de Cidade criativa do Cinema, Santos disponibiliza um estande da Santos Film Commission, com exibição de comerciais, trechos de filmes e peças publicitárias rodadas ao longo de 17 anos de operação no Município. 

"Em quase duas décadas de trabalho, foram mais de 800 produções realizadas na nossa cidade, com diversos nomes da arte. Esse conteúdo atrai os olhares de pessoas do Brasil e do mundo que estão aqui", salientou a coordenadora da Santos Film Commission, Maria Francisca Romão.

GASTRONOMIA

Nos 29 estandes espalhados pelo pavilhão, o visitante encontra um pedacinho de várias cidades criativas brasileiras da Unesco. Na área gastronômica, Belém apresenta produtos variados como chocolates, geleias de açaí e cupuaçu, biscoitos de castanha do Pará e cachaça de jambu ao famoso molho de tucupi.

Tem de tudo um pouco para quem quiser desvendar os sabores da região. São itens feitos por 14 produtores locais representados pela marca ‘Ver o Pesinho’, explica o administrador e diretor Manoel Netto.

“Belém é cidade criativa da gastronomia desde 2015, então trouxemos para este evento que, pela primeira vez ocorre no Brasil, uma seleção de marcas que impulsionam, valorizam e fazem a gente reforçar a importância do selo. Fomos muito cuidadosos para trazer esses produtos, respeitando um cerne enorme dessa gastronomia que é plural, exótica, muito amazônica e muito nossa”.

Outra cidade que se destaca pelo viés gastronômico é Paraty (RJ). No espaço destinado ao município carioca, o público pode degustar uma amostra da famosa Cachaça Coqueiro, produzida na cidade desde 1803. Além disso, diversos tipos de bolo, como de aipim com coco, outro de melaço de cana, além de uma paçoca de banana da terra com bacon.

MÚSICA, CULTURA E MUITO MAIS

Capital mundial do frevo, Recife (PE) recebeu o selo de cidade criativa da música. Ela exibe a sua força sonora por meio de um QR Code gigante no estande. Lá, uma playlist com frevo, brega funk e passinho dão o tom da capital pernambucana.

Além disso, o espaço também foca em materiais turísticos, conforme explica Bráulio Moura, da secretaria de Turismo. "Aqui mostramos diversas opções de museus aos visitantes, como o Cais do Sertão, que aborda a cultura do sertão do Nordeste. Ele é todo tecnológico e feito a partir da ótica do compositor Luiz Gonzaga", salientou.

Salvador (BA) trouxe vídeos, curiosidades e detalhes especiais para quem sonha e até para quem nem pensava em dar um pulinho no local, de acordo com o diretor de Economia Criativa da Cidade, Leandro Lima. A capital baiana é reconhecida desde 2016 pela Unesco como ‘Cidade da Música’.

"E não é somente o axé. Temos desde o samba de roda, capoeira à guitarra elétrica. No ano passado, inauguramos o Museu Cidade da Música”, conta Leandro.

Belo Horizonte (MG) e Florianópolis (SC) também estão presentes no evento da Unesco como cidades gastronômicas. Mas, além das opções de pratos locais em seus telões, os municípios fazem questão de reforçar seu viés cultural.

"Temos o Circuito Liberdade, que é fantástico, o Conjunto Moderno da Pampulha, que é reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Nossa vocação cultural é gigantesca e há muitas atrações para quem deseja visitar nossa cidade", disse Bruno Magalhães, representante da capital mineira.

ESTILO E DESIGN

Os especialistas em formas, cores e curvas também têm vez na Expo. Curitiba (PR) e Fortaleza (CE) receberam o selo de cidades criativas do design e apresentaram seus diferenciais ao público. Em seus estandes, informações sobre moda, indústria e transportes, sempre voltadas aos visuais encontrados nos dois municípios brasileiros.

"Além das características visuais de Curitiba, aqui exibimos duas poltronas criadas a partir de troncos que foram recuperados em rios. São mobílias artesanais, focadas em design e na sustentabilidade", salienta Nathalia Silva, coordenadora do estande curitibano.

Utilizando a tecnologia do metaverso em seu estande, Campina Grande (PB) está presente no evento como cidade criativa das artes midiáticas. No estande, o visitante pode utilizar óculos virtuais para conhecer todas as atrações turísticas e culturais.

Durante um passeio virtual de cinco minutos, o público descobrirá informações e curiosidades sobre o Cordel, a Festa de São João de Campina Grande, entre outras atrações locais.

FORÇA CULTURAL E TURÍSTICA

Oito programas do Governo do Estado que impulsionam a arte, a cultura e a economia criativa estão presentes no pavilhão de eventos. ProAC, Juntos Pela Cultura, Projeto Guri, Oficinas Culturais, Fábricas de Cultura, CreativeSP, BibliOn e #CulturaEmCasa apresentam seus trabalhos ao público no local.

Além da força cultural de São Paulo, há possibilidade de conhecer atrações de diversas outras cidades espalhadas pelo Estado, entre elas municípios de todo o Litoral, Grande São Paulo e interior, como Cotia e Barretos.

ROTA GASTRONÔMICA

Os apaixonados por café e doces em geral vão se deliciar com iguarias espalhadas pelo pavilhão. Além do estande do santista Rei do Café, onde o visitante poderá degustar o tradicional cafezinho, há espaço para as compras. Bourbon Amarelo, Arara, Capim Limão, Catucaí Amarelo estão entre as opções disponíveis, que vão de R$ 26 a R$ 45.

Já a Estação Brigaderia, com brigadeiros de chocolate belga, café, leite ninho e frutas, causa água na boca dos visitantes. A rota gastronômica conta ainda com uma série de doces caramelizados como abóbora, cocada com jaca, batata roxa, abacaxi e cajuzinho.

Há, também, tapiocas variadas, com opções de frango, queijo e doces (chocolate, prestígio, leite condensado), bem como um estande de cerveja artesanal, nos sabores pilsen, goiaba e café com chocolate.

TOQUE DE CHEF

Os pratos assinados por famosos nomes da gastronomia também estão presentes na Expo. Até sexta-feira (22), o chef Dario Costa deve atrair grande audiência no Centro de Convenções. Estrela santista, ex-Master Chef e campeão do Mestre do Sabor de 2020, ele comanda o Madê desde 2017. Mais recentemente, abriu o Paru, este com vocação maior para frutos do mar, dentro do mercado de peixes da Ponta da Praia. 

É desse cardápio mais acessível que ele propõe a lula ao vinagrete com pão da casa e o Tuna Katsu, um lombo de atum empanado e frito, acompanhado de arroz japonês, aioli, tarê e mix de repolhos. 

Por fim, o interior paulista estará representado também na quinta (21) e sexta-feira (22) pelo chef Marcelo Figueiredo Ferreira. Ele traz do seu Mirabile, em Mococa, o talharim ao sugo e a mesma massa à Putanesca com calabresa, referência à forte imigração italiana no Estado.

VITRINE PARA EMPREENDEDORAS

A pandemia de covid-19 abriu as portas para a veia empreendedora de Cláudia Figueiredo. Ela decidiu fazer roupas e acessórios com tecidos africanos, após ser demitida da gráfica onde trabalhava como auxiliar administrativa. Para dar um empurrão nos negócios, começou um curso do Sebrae há dois meses e foi surpreendida com o convite para participar da Expo Cidades Criativas Brasileiras.

“É uma vitrine muito importante. Dá muita visibilidade para a gente, porque vêm muitas pessoas de outras cidades e estados para conhecer o nosso trabalho. Para a gente que está começando, é muito bom, porque garante até crescimento nas redes sociais, que é um dos melhores meios de venda”.

Cláudia é uma das 28 artesãs que o Sebrae trouxe para a Expo. Elas terão a chance não somente de vender seus produtos, mas de expor com conceito de loja colaborativa e de atuar na prática com o desenvolvimento do trabalho em um grande evento, diz a gestora de Negócios do Sebrae na Baixada Santista Cynthia Garrido Ferreira.

“Elas fazem parte do programa-piloto de aceleração de empreendedoras criativas com foco em artesanato e moda artesanal. As selecionadas são todas MEIs, sendo 90% de Santos e outras de São Vicente. Estamos trabalhando aqui, por exemplo, a parte de gestão de negócios, vendas e produtos. Para que desenvolvam e acelerem o seu crescimento”.

ARTESANATO

Com mais de 800 peças entre esculturas, bolsas, quadros, cordões e artesanato em geral, o espaço Artesanato Paulista Sutaco possui opções para todos os gostos - e bolsos. São peças feitas com diversas técnicas e estilos, com mais de 70% de manualidade, que vão de arte com tecidos, papéis, madeira, entre outros elementos sustentáveis.

"A partir de R$ 5 qualquer visitante consegue levar uma lembrança de muito bom gosto para casa, com as mais variadas identidades do artesanato de São Paulo. São produtos lindos e de diversos estilos", explica o coordenador do estande, Claudinei Nanzi.

VISITANTES

As novidades estão chamando a atenção de quem decide dar um passeio pela Expo. “Conheci muita coisa. Não sabia, por exemplo, que Belém era uma cidade criativa e deu para ver que eles trabalham bastante a parte natural que eles têm para desenvolver. É interessante. De repente, você conhece aqui e depois pode ir até lá conferir”, diz o advogado André Luiz Cardoso.

Jesus Sierra trabalha com criatividade e diz que a Expo é um ponto de parada obrigatório para quem atua com turismo, artesanato e culinária, por exemplo. “Tem muita coisa para ver. As pessoas precisam vir para conhecer, porque podem buscar inspiração aqui”.

Natural de Belém (PA), a professora Jerusa Miranda ficou impressionada com a diversidade do evento, tanto na parte cultural quanto gastronômica. Em visita a Santos pela primeira vez, disse que também se surpreendeu com a estrutura da Cidade.

"Esse evento da Unesco tem sido uma grata surpresa. É uma oportunidade muito grande de adquirir conhecimento em diferentes frentes, seja na cultura, no turismo ou na gastronomia. E fiquei apaixonada por Santos, pois é uma cidade muito bem planejada e com muitas opções de passeio. Já estou planejando meu retorno", ressaltou Jeruza, com um folheto do Visite Santos em mãos.

A Expo Cidades Criativas Brasileiras é organizada pela Prefeitura de Santos e o Santos Convention & Visitors Bureau, com patrocínio da DP World Santos, Terracom e Gelog e apoio do Governo do Estado de São Paulo, Sebrae-SP e o Centro de convenções Blue Med/GL eventos.

Compartilhe