Diário de São Paulo
Siga-nos
Eleições 2022

PDT oficializa Ciro Gomes como candidato da sigla à Presidência da República

O político se lança como uma alternativa à polarização entre Lula e Bolsonaro

Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência da República - Imagem: Reprodução/Facebook
Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência da República - Imagem: Reprodução/Facebook

Publicado em 20/07/2022, às 18h45 Mateus Omena


O PDTaprovou em convenção nacional nesta quarta-feira (20) a escolha de Ciro Gomes, 64, como candidato à Presidência da República.

A votação ocorreu na sede nacional da sigla, em Brasília, e foi feita por aclamação e sem votos contrários.

Esta será a quarta vez que Ciro Gomes disputará o Palácio do Planalto. Suas tentativas anteriores aconteceram em 2018, 2002 e 1998. Mesmo assim, no último pleito, ele obteve o seu melhor desempenho, cerca de 13,3 milhões de votos.

O candidato já atuou também como ministro da Fazenda e governador do estado do Ceará.

Em 2022, Ciro chega à corrida presidencial com 8% das intenções de votos, de acordo com o mais recente levantamento do instituto Datafolha. Entre os candidatos, ele fica atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera os índices de intenção de voto, e do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Para se destacar frente aos principais concorrentes, Lula e Bolsonaro, Ciro lança sua campanha como uma alternativa à polarização entre os apoiadores do ex-presidente e os bolsonaristas.

Por isso, o candidato se agarra ao lema “vote em um e se livre dos dois”, em referência a Lula e a Bolsonaro. Para Ciro, o PT e o PL não possuem estratégias de desenvolvimento e solução de problemas do país.

Propostas para a gestão

Uma das bases da candidatura de Ciro Gomes é o projeto nacional de desenvolvimento, publicado por ele, em 2020, no livro “Projeto Nacional: O Dever da Esperança”.

Confira as promessas do candidato para o próximo governo, caso seja eleito:

  • Revogação o teto de gastos, chamado por ele de “ficção fraudulenta”;
  • Revogação o tripé macroeconômico (meta de inflação, câmbio flutuante e meta fiscal);
  • Revisão a autonomia do Banco Central;
  • Criação de um plano emergencial de pleno emprego para, segundo ele, “gerar 5 milhões de vagas nos dois primeiros anos de governo”;
  • Revisão da política de preços da Petrobras;
  • Implantação de um programa de renda mínima universal;
  • Investimento em escolas federais de tempo integral;
  • Criação de um complexo industrial da saúde para a produção de medicamentos.

Ciro Gomes também vê como prioridade do governo as reformas tributárias e da Previdência.

Além disso, ele propõe a regulamentação do imposto sobre grandes fortunas, como: alíquota progressiva para patrimônios acima de R$ 20 milhões; a tributação de lucros e dividendos; a implantação de um caráter progressivo no imposto sobre heranças e doações; redução do conjunto de impostos sobre a renda a dois impostos gerais, o de pessoa física e o de pessoa jurídica.

Compartilhe