Diário de São Paulo
Siga-nos
Morte por arma

Noiva morre no próprio casamento após convidado fazer disparos em celebração

O tiro também atingiu outros dois convidados

Mahvash Leghaei ao lado do noivo durante festa de casamento - Imagem: reprodução Twitter @SchengenStory
Mahvash Leghaei ao lado do noivo durante festa de casamento - Imagem: reprodução Twitter @SchengenStory

Publicado em 19/07/2022, às 11h37 Mateus Omena


Uma noiva morreu em seu próprio casamento ao ser atingida na cabeça por uma bala perdida. O incidente aconteceu durante uma rodada de tiros comemorativos em Shiraz, sul do Irã.

Mahvash Leghaei, 24, tinha acabado de sair da cerimônia ao lado do noivo e se preparava para receber os convidados para a recepção. Um dos convidados decidiu homenagear o casal disparando tiros cerimoniais para o alto.

Apesar dessa prática ser bastante comum em festas no país, existem leis no país que a proíbem devido ao risco à segurança, informou o jornal americano New York Post.

O homem que tomou a iniciativa de fazer a exibição festiva usou um rifle de caça não licenciado. Quando ele abriu fogo pela primeira vez, não houve acidente e os convidados do casamento aplaudiram a performance.

Mas, ao dar o segundo disparo, a bala atingiu Mahvash na cabeça e a atravessou, ferindo em seguida dois convidados que estavam ao lado dela, afirmaram as testemunhas.

A mulher foi socorrida pelo marido que ficou em choque com a tragédia repentina. Ela entrou em coma, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu. As outras duas pessoas que foram baleadas tiveram ferimentos leves.

A polícia foi acionada pelos convidados e chegou ao local rapidamente. Em entrevista ao site Newsflash, o coronel Mehdi Jokar, responsável pelo caso, relatou: “Recebemos uma chamada de emergência de um tiroteio em um salão de casamentos na cidade de Firuzabad e os policiais foram enviados para lá o mais rápido possível”.

O coronel Jokar explicou que o acidente provavelmente foi causado pelo “mau controle da arma” e pelas “multidões” ao redor.

“Naturalmente, qualquer perturbação da ordem pública como essa traz riscos à segurança, e as pessoas precisam saber zelar por uma comunidade segura, atirar é proibido em casamentos”, disse o oficial. “Tomaremos medidas duras contra qualquer pessoa que infrinja essa regra.”

Durante o momento de pânico, o atirador fugiu da festa com a arma em mãos, mas em seguida foi localizado pela polícia e detido. A identidade dele não foi revelada, mas ele foi apontado como um primo do noivo.

Mahvash Leghaei trabalhava como uma assistente social que ajudava usuários de drogas a vencer seus vícios. A família da vítima doou seus órgãos, já que era o que ela desejava.

Compartilhe