Diário de São Paulo
Siga-nos
Crime

Furtos e roubos de carros crescem 22% em São Paulo: veja lista dos modelos mais visados

Ladrões agem com rapidez e têm até preferência por modelo a ser levado

A conclusão é da empresa de rastreamento veicular Ituran, com base em dados publicados no site da Secretaria da Segurança Pública do governo paulista - Imagem: Freepik
A conclusão é da empresa de rastreamento veicular Ituran, com base em dados publicados no site da Secretaria da Segurança Pública do governo paulista - Imagem: Freepik

Publicado em 21/07/2022, às 15h49 Jair Viana


Nos primeiros cinco meses deste ano foi registrado aumento de 22,6% no número de furtos e roubosde carros em comparação com o mesmo período do ano passado.

O número de roubos e furtos de automóveis e comerciais leves impactou as estatísticas. A conclusão é da empresa de rastreamento veicular Ituran, com base em dados publicados no site da Secretaria da Segurança Pública do governo paulista.

De janeiro a maio deste ano foram registradas 35.258 ocorrências do tipo, contra 28.764 em 2021. Essas são as informações mais recentes disponibilizadas pelo governo paulista.

Por esses dados, em 2022, o automóvel mais visado pelos ladrões, pelo menos até agora, é o Volkswagen Gol, que acumula 2.634 casos de furto ou roubo. Roubo é quando o ladrão usa de violência ou grave ameaça para levar o bem.  Sozinho, o hatch da VW foi responsável por 7,5% de todas as ocorrências.

Para Rodrigo Boutti, gerente de operações da Ituran, uma das causas para a alta nas ocorrências é o aumento na quantidade de veículos nas vias, uma consequência do fim da maior parte das restrições à circulação de pessoas que vigoravam para conter a disseminação do coronavírus.

"Além de haver mais carros nas ruas, os novos ficaram muito caros e há falta de modelos zero-quilômetro devido à escassez de microchips. Dessa forma, a frota está envelhecendo e cresceu a demanda por peças de reposição para veículos usados, inclusive componentes fornecidos por desmanches ilegais", disse.

Um levantamento das ocorrências registradas no Estado de São Paulo mostra que 77,3% delas correspondem a furtos, contra 22,7% de roubos. Em 2021, os percentuais foram de 79,6% e 20,4%, respectivamente.

"Os furtos predominam porque são um crime muito mais ameno no Código Penal e difícil de provar. Os criminosos só roubam veículos que não conseguem furtar, devido a tecnologias embarcadas que previnem a prática", explica Boutti.

Boutti acrescenta que a preferência pelo furto indica que o alvo é realmente o veículo, pois o roubo pode ser motivado para a prática de outros delitos, como fugas ou a subtração de bens que estejam com a vítima.

Compartilhe