Diário de São Paulo
Siga-nos
confira!

Emilia Clarke relata sequela de aneurismas: "Parte do cérebro não funciona"

Atriz já sofreu dois aneurismas e expressa gratidão por poder viver uma vida normal sem problemas.

Emilia Clarke fundou uma instituição de caridade para vítimas de lesões cerebrais, SameYou. - imagem: reprodução Instagram @emilia_clarke
Emilia Clarke fundou uma instituição de caridade para vítimas de lesões cerebrais, SameYou. - imagem: reprodução Instagram @emilia_clarke

Publicado em 18/07/2022, às 17h35 Fernanda Viana


A atriz Emilia Clarke contou em entrevista ao "Sunday Morning BBC" as sequelas deixadas por 2 aneurismas que aconteceram durante as gravações de Game of Thrones.

 "Tem uma quantidade de meu cérebro que não é mais utilizável, e é notável que eu seja capaz de falar, às vezes de forma articulada, e viver minha vida completamente normal, sem absolutamente nenhuma repercussão. Estou na minoria muito, muito, muito pequena de pessoas que podem sobreviver a isso", disse.

Clarke sofreu o primeiro aneurisma em 2011 no intervalo entre a primeira e a segunda temporada de "Game of Thrones", e o segundo aneurisma em 2013 e conta como a série foi uma peça-chave para se manter forte durante a recuperação.

"Eu tinha 22 anos (quando teve o primeiro aneurisma), mas foi útil ter 'Game of Thrones' para me varrer e me dar esse propósito", declarou ela na entrevista.

Clarke sofreu de afasia, distúrbio que afeta a comunicação da pessoa após um grande trauma no cérebro. O mesmo diagnóstico levou Bruce Willis a aposentar sua carreira de ator.

 "Nos meus piores momentos, eu queria puxar o plugue", escreveu ela em artigo publicado no "New York Times". "Pedi à equipe médica que me deixasse morrer. Meu trabalho, todo o meu sonho de como minha vida seria, centrava-se na linguagem, na comunicação. Sem isso, eu estava perdida.".

Felizmente, a condição foi temporária e semanas depois de dar entrada na UTI, Clarke voltou a falar.

Ainda na entrevista, Emilia afirmou que ficou impressionada com o quão extraordinário o corpo humano é após ver os resultados dos exames. "Realmente falta um pouco (do cérebro), o que sempre me faz rir! Porque em casos de derrames, basicamente, assim que qualquer parte do seu cérebro não recebe sangue por um segundo, ele desaparece.", contou a atriz.

Em 2019, Emilia Clarke, aos 35 anos, fundou a instituição de caridade SameYou para vítimas de lesões cerebrais e derrames, assim como ela, e se concentra em sua própria recuperação emocional e mental. Em 2020, recebeu o prêmio Public Leadership in Neurology da American Brain Foundation, por seus esforços na conscientização sobre a neurorreabilitação.

Após passar por todo o processo de reabilitação, a atriz conta como foi o processo de aprender se aceitar como é agora. “Eu pensei: ‘Bem, isso é quem você é. Este é o cérebro que você tem.' Portanto, não faz sentido quebrar continuamente seus cérebros sobre o que pode não estar lá.”

Compartilhe