Diário de São Paulo
Siga-nos

Governo de Boris Johnson enfrenta novo escândalo sexual

Imagem Governo de Boris Johnson enfrenta novo escândalo sexual

Publicado em 01/07/2022, às 00h00 - Atualizado às 07h54 Redação


O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, enfrenta uma nova dor de cabeça política nesta sexta-feira (1°), após a renúncia de uma figura importante do Partido Conservador acusado de assediar dois homens quando estava bêbado.

Chris Pincher, responsável pela disciplina de voto parlamentar dos deputados conservadores, renunciou depois das acusações de que apalpou dois homens, um novo escândalo político para o chefe de Governo já enfraquecido.

Na carta de renúncia, com data de quinta-feira, Pincher afirma que deixa o cargo depois de beber “demais” e “envergonhar a mim e a outras pessoas” na noite anterior.

De acordo com a imprensa britânica, o deputado conservador, de 52 anos, foi acusado de apalpar dois homens, incluindo um deputado, em um clube privado do centro de Londres, o Carlton Club, o que provocou reclamações no Partido Conservador.

Fachada do Carlton Club, em Londres — Foto: Reprodução/Site Oficial Carlton Club

Fachada do Carlton Club, em Londres — Foto: Reprodução/Site Oficial Carlton Club

Pincher renunciou ao posto de responsável pela disciplina do partido, mas continua como deputado, o que motivou pedidos de expulsão e de uma investigação interna.

“Os ‘tories’ não devem ignorar uma possível agressão sexual”, tuitou Angela Rayner, a número dois do Partido Trabalhista, principal formação de oposição.

Este caso é o mais recente em uma série de escândalos similares no Partido Conservador nos últimos meses.

Em maio, um deputado suspeito de estupro foi detido e depois libertado sob fiança. Em abril, outro deputado conservador renunciou depois que foi flagrado assistindo um vídeo pornô em seu smartphone durante uma sessão do Parlamento. E um ex-deputado foi condenado em maio a 18 meses de prisão por agredir sexualmente uma adolescente de 15 anos.

O governo de Boris Johnson também foi abalado pelo escândalo das festas celebradas em Downing Street, apesar das restrições determinadas pelo governo durante a pandemia de covid.

Compartilhe