Diário de São Paulo
Siga-nos

Vale o voto de confiança?

Imagem Vale o voto de confiança?

Publicado em 11/07/2022, às 00h00 - Atualizado às 08h31 Redação


Uma nota polêmica do colunista Tales Torraga chamou minha atenção nesse final de semana. O texto conta que o atacante Dario Benedetto e o capitão Izquierdoz teriam brigado com diretores do Boca Juniors horas antes do jogo decisivo contra o Corinthians pelas oitavas-de-finais da Copa Libertadores. Segundo o jornalista, que apurou a notícia vinda da ESPN argentina e do canal TyC Sports, os jogadores queriam receber a premiação do título nacional mais a grana prometida pela classificação à fase de mata-mata da competição continental. Mas os dirigentes do Boca, capitaneados pelo vice-presidente, o ídolo Riquelme, disseram que não. Iriam pagar apenas após a classificação às quartas.

Se isso é verdade ou não, fica difícil esclarecer. Mas a maneira bizarra como o centroavante cobrou suas penalidades – tanto no tempo normal, como na disputa de alternados – dá margem para muita gente pensar em má fé do artilheiro argentino. Minha impressão sincera? Desfalcado de vários de seus principais jogadores, o Corinthians jogou com inteligência e garantiu uma classificação épica. Isso mesmo! Os jovens de desdobraram e o goleiro Cássio fez sua parte lá atrás. Baita resultado que surpreendeu até os mais otimistas torcedores corintianos.

Mas e agora? Será que esse Corinthians do técnico Vítor Pereira vale um voto de confiança para buscar o título da Libertadores? Realmente acho difícil. Se tiver com todos os seus principais nomes, e as voltas de lesionados como Fágner, Maycon, Renato Augusto e Willian, pode até ser um bom presságio. Se o recém-chegado Yuri Alberto entrosar no time em duas semanas também seria um excelente reforço. Mas imaginar a jovem zaga do Timão encarando o trio De Arrascaeta, Pedro e Gabigol, fica quase impossível imaginar o alvinegro em uma semifinal. Mas sonhar não custa nada. E a mística da camisa do Timão permite isso.

Nova missão para o ‘incrível’ Hulk

Em outra disputa brasileira da Libertadores, o Palmeiras vai enfrentar o Atlético/MG, em uma reedição do mata-mata semifinal do ano passado. Na ocasião dois empates levaram a disputa para os pênaltis, obviamente vencidos pelo atual campeão. Por falar no duelo desse ano o grande diferencial dos mineiros é novamente seu atacante Hulk. Em 2021 ele não rendeu o esperado e inclusive perdeu um pênalti decisivo no duelo. Agora ele vem com tudo para tentar cravar uma revanche. Mas vale lembrar que o Verdão do Abel Ferreira segue quase imbatível por aqui. Quem vai levar esse duelo? Com os dois times completos e decidindo em São Paulo, fico com o favoritismo alviverde.

Compartilhe