Diário de São Paulo
Siga-nos

Modernização do sistema de semáforos de SP vai atrasar, admite Ricardo Nunes

Diferentemente do que o prefeito afirmou anteriormente, a instalação de semáforos inteligentes e manutenção dos equipamentos não deve ocorrer em julho

Modernização do sistema de semáforos de SP vai atrasar, admite Ricardo Nunes - Imagem: Reprodução | TV Globo
Modernização do sistema de semáforos de SP vai atrasar, admite Ricardo Nunes - Imagem: Reprodução | TV Globo

Publicado em 28/07/2022, às 07h02 G1


Em meio a diversos faróis apagados pela cidade, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) admitiu nesta quarta-feira (27) que a implementação do sistema de modernização dos semáforos vai atrasar.

"A data que eu falei de final de julho fica prorrogada por conta dessa questão do Tribunal de Contas para agosto. E eu espero verdadeiramente que eu não volte em agosto e dê uma nova data pra vocês por conta de alguma ação externa", disse.

A modernização do sistema de semáforos da cidade está para sair desde 2019, quando a Prefeitura anunciou uma licitação de R$ 900 milhões para contratar uma empresa que deveria instalar semáforos inteligentes e fazer a manutenção dos equipamentos.

Esse processo também foi questionado pelo Tribunal de Contas do Municípioque apontou falta de clareza e transparência.

Neste ano, o município quer repassar para a empresa responsável pela iluminação pública da cidade a obrigação de cuidar dos semáforos. Para isso, teria que fazer um aditivo de R$ 1 bilhão em um contrato que já está assinado. A Câmara dos Vereadores precisou aprovar uma lei para permitir essa manobra.
Em fevereiro, o Tribunal de Contas do Município fez um alerta para que a Prefeitura só assinasse o contrato depois que o TCManalisasse o documento, que voltou a ser discutido nesta quarta.

"Quero registrar minha inteira concordância com a abordagem que o conselheiro Mauricio Faria faz sobre a ausência de uma estratégia, de um tratamento estratégico da mobilidade urbano especificamente no que diz respeito à modernização semafórica na cidade, que tem que dialogar com o futuro da cidade, aliás é um dos elementos fundamentais de organização da mobilidade urbana na cidade. Eu tenho absoluta certeza q se essa questão não for tratada, se estivermos diante de apenas de substituição de lâmpadas semafóricas ou diante de uma manutenção dos serviços, nós não vamos dar conta da necessidade futura desse.. então quero destacar este ponto", disse o conselheiro presidente do TCMSP, João Antonio da Silva Filho.

Compartilhe