Diário de São Paulo
Siga-nos
Mandato cassado

Relator pede punição de Gabriel Monteiro por assédio e importunação sexual; entenda

O vereador Chico Alencar apresentou relatório oficial do pedido nesta terça-feira (2)

Câmara do Rio decide punição de Gabriel Monteiro por assédio e importunação sexual - Imagem: reprodução Câmara do Rio de Janeiro
Câmara do Rio decide punição de Gabriel Monteiro por assédio e importunação sexual - Imagem: reprodução Câmara do Rio de Janeiro

Publicado em 02/08/2022, às 16h05 Vitória Tedeschi


O vereador Chico Alencar (PSOL), relator das denúncias de assédio sexual, moral e estupro contra o vereador Gabriel Monteiro (PL), pediu a cassação do colega de Parlamento na tarde desta terça-feira (2).

O relatório final com as conclusões sobre o caso foi entregue ao Conselho de Ética da Câmara de Vereadores do Rio após três meses de apurações.

"O relatório, fruto de um trabalho coletivo, concluiu, pela prática de atos gravíssimos, a perda do mandato do vereador Gabriel Monteiro por quebra de decoro parlamentar", escreveu o vereador nas redes sociais.

O parecer obtido em primeira mão pela CNN tem 36 páginas e conclui dizendo que “a prática dos atos incompatíveis com o decoro parlamentar pelo Vereador Gabriel Monteiro, apurados por este Conselho de Ética, tiveram o condão de atingir a própria essência do Poder Legislativo ao qual pertence.

Todas essas posturas malferindo a imagem, a honra e a reputação desta Câmara Municipal e contribuindo para a antidemocrática negação da Política” e pede como sanção a perda de mandato.

“O entendimento da comissão, do Conselho de Ética, ainda não existe. Nós temos mais de mil páginas das transcrições dos depoimentos, ouvimos oito testemunhas de defesa do vereador representado, quatro convidadas pelo próprio conselho, o conjunto probatório é muito forte e eu tô finalizando o relatório, é uma prerrogativa minha, pra apresentá-lo publicamente amanhã à luz do critério fundamental”, ainda afirmou Chico.

E concluiu nas redes sociais dizendo que "a defesa do vereador tem 5 dias para contestar a decisão. A votação do relatório pelos 7 membros do Conselho de Ética está prevista para 11/8. Até o dia 15/8, o plenário da Câmara dos Vereadores decide se o mandato será cassado ou não".

Compartilhe