Diário de São Paulo
Siga-nos

PMs de SP que participaram de perseguição que matou a tiros MC Neguinho JM são afastados e investigados

Imagem PMs de SP que participaram de perseguição que matou a tiros MC Neguinho JM são afastados e investigados

Publicado em 07/07/2022, às 00h00 - Atualizado às 08h01 Redação


Os policiais militares que participaram da perseguição que matou a tiros o MC Neguinho JM, de 19 anos, no último sábado (2), durante perseguição na Zona Sul de São Paulo, foram afastados preventivamente dos trabalhos nas ruas.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), os agentes ainda são investigados pela Corregedoria da Polícia Militar (PM). Um Inquérito Policial Militar (IPM) apura se eles agiram corretamente ou não durante a ação no Campo Limpo.

A Polícia Civil também investiga o caso, que foi registrado inicialmente no 47º Distrito Policial (DP)Capão Redondo, como desobediência, lesão corporal e morte decorrente de intervenção à oposição policial.

Vídeo de câmera de segurança que circula nas redes sociais mostra David Meireles Miranda pilotando uma moto emprestada (veja nesta reportagem). Nas imagens é possível ver que ele não usava capacete e estava desarmado quando foi baleado no tórax e na perna pelos policiais militares. O funkeiro não resistiu aos ferimentos e morreu naRua Marechal João Carlos Barreto.

Jeferson Fernando da Silva Souza, o garupa que aparece com ele na moto, também estava sem capacete e foi baleado pelos agentes, mas na cabeça. No vídeo é possível ver o momento que ele é atingido e cai da motocicleta. Ele estava armado e ameaçou atirar contra uma base policial no bairro, segundo a PM. De acordo com os policiais, houve troca de tiros.

Até a última atualização desta reportagem, Jeferson continuava internado em estado grave em um hospital, segundo a Secretaria da Segurança.

Uma adolescente que passava pela rua no momento da perseguição policial também foi atingida por um disparo na perna, mas ela não corre risco de morrer.

Como a ocorrência envolve policiais militares, o Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) assumiu as investigações.

“O caso é investigado por meio de inquérito policial instaurado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Paralelamente, a Corregedoria da Polícia Militar também instaurou um Inquérito Policial (IPM) para apuração. Os agentes envolvidos na ocorrência foram afastados do trabalho operacional. Até o momento, não foi apresentada a comunicação de óbito do segundo envolvido. As diligências prosseguem para esclarecer todas as circunstâncias relativas aos fatos”, informa nota da Secretaria da Segurança Pública, divulgada por sua assessoria de imprensa.

Compartilhe