Diário de São Paulo
Siga-nos
Economia Brasileira

Lula exclui possibilidade de desvincular aposentadoria do salário mínimo

Presidente ressalta a importância da valorização do salário mínimo e diz que o valor não terá alteração durante seu mandato

Lula exclui possibilidade de desvincular aposentadoria do salário mínimo - Imagem: reprodução X I @p_rousseff
Lula exclui possibilidade de desvincular aposentadoria do salário mínimo - Imagem: reprodução X I @p_rousseff

Milleny Ferreira Publicado em 26/06/2024, às 15h55


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou que desvincular o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e as pensões do salário mínimo não é viável, pois considera o salário mínimo essencial para a sobrevivência das pessoas.

Em entrevista ao UOL, Lula enfatizou a importância da política de valorização do salário mínimo e ressaltou que reduzir ainda mais esse valor não resolveria os problemas econômicos do país.

Se eu acho que vou resolver o problema da economiabrasileira apertando o mínimo do mínimo, eu estou desgraçado. Eu não vou para o céu, fico no purgatório", afirmou o presidente.

Lula garantiu que o salário mínimo não sofrerá alterações durante seu mandato. Ele explicou que, conforme a lei, o aumento do salário mínimo deve incluir a reposição inflacionária para manter o poder aquisitivo dos trabalhadores, além de uma média do crescimento do PIBdos últimos dois anos.

O crescimento do PIB é exatamente para isso, pra você distribuir entre os 200 milhões de brasileiros. E eu não posso penalizar a pessoa que ganha menos", completou Lula.

O presidente também criticou a postura de alguns empresários, fazendo referência à região da "Faria Lima", e defendeu uma distribuição mais equitativa dos recursos. Lula mencionou Henry Ford, fundador da Ford, como exemplo de um empresário que valorizava o pagamento justo aos trabalhadores para que pudessem consumir os produtos fabricados pela empresa.

Eu quero que o empresário tenha lucro, mas quero que ele tenha a cabeça como teve o Henry Ford, quando disse: eu quero que meus trabalhadores ganhem bem para eles poderem comprar os produtos que eles fabricam", disse Lula.

Sobre a possibilidade de cortes de gastos, Lula afirmou que o governo está avaliando a necessidade de tais medidas e ainda não definiu quais serão implementadas. Ele elogiou o diretor de Política Monetária do Banco Central, Gabriel Galípolo, destacando sua competência, mas não confirmou se o indicará para a presidência da instituição.

Compartilhe  

últimas notícias