Diário de São Paulo
Siga-nos

Silêncio...

Imagem: Freepik
Imagem: Freepik

Publicado em 15/07/2022, às 08h50 Fernanda Trigueiro


A vontade era de não falar. Há algum tempo ando fugindo de certos assuntos. Pensei em escrever aqui sobre a menor de 11 anos e o debate sobre o aborto, depois teve o caso da atriz que sofreu um estupro e optou pela adoção. Me mantive calada nos dois casos, porque diante de tanta polêmica fui vencida pela minha covardia. Não quis discutir. Não quis ter razão, só queria mesmo ter um pouco de paz.

Mas e agora? Agora, não foi a minha falta de coragem pra me expor que ganhou. Queria mesmo o silêncio. Pensei tanto e mesmo assim não sabia o que dizer. Dói, revolta, causa nojo e não há justificativa. Mas é um fato e aconteceu. O estuprador atrás do jaleco não só se aproveitava da "fragilidade" da mulher por ser mulher, mas ainda a deixava em um estado de maior vulnerabilidade. Totalmente anestesiada e dopada sem nenhuma chance de reagir. A vítima ainda estava dando a luz. O homem  a impossibilitou de ver e pegar o seu próprio bebê no colo.

O médico foi gravado e acabou preso em flagrante. Tinha nas redes sociais cerca de 360 seguidores. Compartilhava fotos da rotina, dos plantões... Em uma de suas postagens ele escreveu "Vocês ainda vão ouvir falar de mim. Esperem!". Não acho que ele imaginava que isso realmente aconteceria e ainda desta forma. O vídeo divulgado mostra a surpresa do anestesista ao ser avisado de que estava sendo gravado. Com o caso vindo à tona, o médico ganhou mais de 11 mil seguidores. E me pergunto: qual o interesse dessas pessoas em seguir um criminoso? Ele não é um famoso, está longe de ser uma celebridade e jamais poderá acrescentar algo de bom na vida de alguém. Além disso, agora ele não vai postar mais nada. Está atrás das grades.

E qual a pena para um homem como este? Quinze anos, que seria a pena máxima para o crime, não é nada pra uma mulher que foi privada do momento mais especial da vida dela. Ela nunca mais poderá viver o nascimento do filho. Há os que acreditam que estamos em perigo e prestes a chegar ao "fim dos tempos". Profecias antigas já alertavam sobre desastres mundiais, conflitos globais, doenças e ódio. Mas uma outra linha diz que para alcançarmos uma nova era de alegria temos que enfrentar todos esses obstáculos. Não sei mais o que pensar... mas sinto que estamos beirando o fim mesmo... espero que no fim de túnel encontremos a luz!

Compartilhe