Diário de São Paulo
Siga-nos

Polícia prende outro suspeito da quadrilha que trocou tiros em rodovia em Novo Horizonte

Ao todo, cinco pessoas envolvidas no crime foram presas e a polícia ainda procura por pelo menos mais três suspeitos. Várias armas de grosso calibre foram

Polícia prende outro suspeito da quadrilha que trocou tiros em rodovia em Novo Horizonte
Polícia prende outro suspeito da quadrilha que trocou tiros em rodovia em Novo Horizonte

Redação Publicado em 04/11/2016, às 00h00 - Atualizado às 16h56


A polícia prendeu na madrugada desta sexta-feira (4) mais um integrante da quadrilha que trocou tiros com a polícia em Novo Horizonte e tentou explodir um caixa automático na cidade, na quinta-feira (3).

Ao todo, cinco pessoas envolvidas no crime foram presas e a polícia ainda procura por pelo menos mais três suspeitos. Várias armas de grosso calibre foram apreendidas.

Uma equipe especializada em roubos a bancos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) está em Itajobi para conversar com o delegado do caso e se aprofundar nas investigações para saber se há ligações com outros roubos e furtos a bancos ocorridos no Estado.

Segundo informações da polícia, o suspeito preso nesta madrugada tem 38 anos e foi abordado ao caminhar pela rodovia Cesário José de Castilho, a cerca de 100 metros do local onde ocorreu o tiroteio. De acordo com a polícia, ele estava debilitado e com sinais de desidratação.

O suspeito confessou a participação no crime e disse que estava no veículo onde outros dois suspeitos foram mortos durante o confronto. Ele foi levado para a delegacia de Itajobi, onde prestou depoimento durante a madrugada e, segundo a polícia, contou detalhes importantes que devem ajudar a localizar outros suspeitos.

No depoimento, ele disse que a quadrilha era especializada em explosão de caixas eletrônicos e que a intenção do grupo era explodir agências bancárias na região. Ainda em depoimento, o suspeito afirmou que assim que começou o tiroteio com a polícia conseguiu sair de dentro do carro e correr para uma área de mata, às margens da rodovia, onde ficou escondido durante a madrugada. Ele disse que sua função na quadrilha era informar os integrantes do grupo sobre a presença de policiais.

Outro detalhe que chamou a atenção da polícia é que ele é irmão de outro assaltante, que foi preso em uma casa em Novo Horizonte, na quinta-feira (3), onde estava um carro usado no crime.

Os corpos dos suspeitos mortos durante o tiroteio, que estavam no Instituto Médico Legal (IML) de Catanduva, foram liberados na manhã desta sexta-feira (4) aos familiares, que vieram de São Paulo. O sepultamento dos dois será na capital.

Compartilhe  

últimas notícias