Diário de São Paulo
Siga-nos
Fora de controle

Macacos aterrorizam cidade do Japão e polícia toma medidas inusitadas

Um dos animais chegou a jogar um bebê do telhado de um prédio

Macacos aterrorizam cidade do Japão e polícia toma medidas inusitadas - Imagem: reprodução Freepik
Macacos aterrorizam cidade do Japão e polícia toma medidas inusitadas - Imagem: reprodução Freepik

Publicado em 26/07/2022, às 15h31 Vitória Tedeschi


Uma cidade no sudoeste do Japão chamada Yamaguchi e em seus arredores tem sofrido inúmeros ataques de macacos selvagens que desde o dia 8 de julho deixaram pelo menos 45 pessoas feridas. Com a população aterrorizada pelos acontecimentos, a polícia local precisou agir e tomar medidas inusitadas para combater os ataques.

De acordo com relatos de moradores, os animais entram pelas janelas das casas e atacam itens pelas costas das pessoas que já foram arranhandas nas mãos e nas pernas, ou mordidos em seus pescoços e troncos, mas não relataram nenhum ferimento grave, afirmou Masato Saito, um oficial da prefeitura de Yamaguchi.

“Recentemente, ouvimos falar de casos onde o macaco segurou a perna de uma pessoa, e uma vez que a pessoa tentou afastá-lo, foram mordidos — ou foram atacados pelas costas”, declarou.

Além disso, é comum que os macacos saqueiem plantações e além de atacar pessoas, um dos últimos acontecimentos que chocou a população foi um bebê de quatro meses que morreu ao ser atirado pelos animais do telhado de um prédio de três andares.

No início do mês, muitos dos ataques ocorreram quando ao menos um macaco entrou em casas e escolas através de janelas e portas abertas. Mas agora, com os habitantes instruídos a manter pontos de entrada fechados, mais pessoas estão sendo atacadas nas ruas, ao ar livre.

As autoridades locais estão montando guarda desde as primeiras denúncias, mas até agora não conseguiram capturar nenhum macaco. Ainda não se sabe se é um grupo isolado de animais, particularmente agressivo,ou se é um comportamento que se disseminou entre esses primatas

A falta de respostas foi o que levou a polícia a tomar novas medidas de controle. No começo, eles montam armadilhas e aumentaram a patrulha armada com redes — mas após a falha em capturar os macacos, policiais foram armados com armas com tranquilizantes no último domingo (24).

Compartilhe