Diário de São Paulo
Siga-nos
Renegociação de Dívidas

São Paulo destaca-se no Desenrola Pequenos Negócios com maior volume de dívidas renegociadas

Desenrola Pequenos Negócios registra contratos que ultrapassam R$ 2,4 bilhões

Imagem ilustrativa - Imagem: Reprodução / Freepik
Imagem ilustrativa - Imagem: Reprodução / Freepik

Sabrina Oliveira Publicado em 08/07/2024, às 12h55


O programa Desenrola Pequenos Negócios alcançou um volume financeiro renegociado de R$ 2.483.579.215 até o último dia2. Ao todo, 69.635 contratos foram renegociados, beneficiando 42.216 clientes, conforme balanço divulgado nesta segunda-feira (8) pelo Ministério do Empreendedorismo, Micro e Pequenas Empresas.

O volume financeiro negociado teve um crescimento expressivo ao longo de junho. No levantamento do dia 12 de junho, o total renegociado era de R$1,25 bilhão. Em 24 de junho, o valor aumentou para R$1,68 bilhão, chegando a R$2,48 bilhões nos últimos dias do mês, representando um aumento de 70% desde o início do programa.

Entre as regiões do país, o Sudeste acumula o maior volume negociado, somando R$1.043.097.842. O Nordeste aparece em seguida com R$466.222.187, seguido pelo Sul com R$340.383.388, Centro-Oeste com R$237.706.948, e Norte com R$104.611.156.

O estado de São Paulo se destacou como o que mais renegociou dívidas, com 11.016 clientes (26%), 20.917 contratos (30%) e um volume financeiro de R$694.055.097 (28%). O Rio de Janeiro vem em segundo lugar, com 3.548 clientes (8%), 6.218 contratos (9%) e um volume financeiro renegociado de R$203.832.168 (8%).

O programa Desenrola Pequenos Negócios foi criado com a proposta de auxiliar pequenos negócios a superarem dificuldades financeiras. Ele conta com a participação de sete bancos que representam 73% da carteira de crédito de micro e pequenas empresas nacionais: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú, Santander, Sicredi e Mercantil do Brasil.

Para participar do programa, o microempreendedor ou pequeno empresário deve entrar em contato com a instituição financeira onde tem a dívida. As renegociações podem ser realizadas através de canais de atendimento oficiais como agências, internet ou aplicativos móveis. Cada banco participante define suas próprias condições e prazos para a renegociação.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) alerta que somente bancos cadastrados no programa podem oferecer as condições especiais de renegociação. Em caso de dúvidas ou suspeitas sobre ofertas de renegociação, os empresários são aconselhados a contatar seus bancos pelos canais oficiais e a não aceitar propostas fora dessas plataformas.

As oportunidades para renegociação de dívidas bancárias são válidas para microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenas empresas com faturamento anual de até R$4,8 milhões. As dívidas elegíveis são aquelas não pagas até 23 de janeiro de 2024, permitindo que os empresários obtenham os recursos necessários para manter suas atividades.

Compartilhe  

últimas notícias