Diário de São Paulo
Siga-nos

Portugal luta contra três incêndios florestais

Imagem Portugal luta contra três incêndios florestais

Publicado em 11/07/2022, às 00h00 - Atualizado às 09h16 Redação


Quase 2.800 bombeiros lutaram neste domingo (10) em Portugalpara controlar três incêndios florestais que devastavam há vários dias áreas do centro e do norte de Portugal, o que levou o governo a declarar “estado de contingência” devido às temperaturas elevadas.

“O fogo chegou a 50 metros da última casa do vilarejo, lá em cima queimou tudo”, declarou à AFP Donzilia Marques, ao apontar para as colinas que ficam entre a sua localidade, Travessa de Almogadel, e o vilarejo de Freixianda, no município de Ourém, centro do país.

A mulher foi retirada da localidade, mas conseguiu voltar para sua casa e constatou que nenhuma residência havia queimado, apesar do incêndio – que começou na quinta-feira – ter arrasado 1.500 hectares de vegetação.

Bombeiro apaga incêndio em floresta de Portugal — Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP

Bombeiro apaga incêndio em floresta de Portugal — Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP

Outro incêndio, declarado na sexta-feira, devasta uma zona próxima, em Pombal, e mobilizou 450 bombeiros.

E na quinta-feira um incêndio começou em Carrazeda de Ansiães, na região nordeste do país.

O governo português elevou o nível de alerta e decretou “estado de contingência”. Lisboa pediu à União Europeia que acione o mecanismo comum, como qual foram mobilizados dois aviões-tanque procedente da Espanha.

Os incêndios dos últimos dias deixaram cerca de 40 pessoas levemente feridas entre bombeiros e população, mas a maioria das vítimas foi tratada por sintomas de intoxicação ou exaustão, segundo um relatório divulgado domingo pelo comandante nacional da proteção civil, André Fernandes.

O ministro do Interior, José Luis Carneiro, destacou que as temperaturas podem chegar aos 45 graus e afirmou que Portugal enfrenta a “pior combinação de fatores” desde os incêndios que afetaram o país entre junho e outubro de 2017, que deixaram mais de 100 mortos.

Compartilhe