Diário de São Paulo
Siga-nos

Raphinha revela parabéns de Ronaldinho Gaúcho e lembra veto anterior na Seleção: “Frustrado”

Demorou um pouco mais do que deveria, mas chegou a vez de Raphinha. Lembrado por Tite pela primeira vez em agosto para os jogos de setembro, Raphael Dias

Raphinha revela parabéns de Ronaldinho Gaúcho e lembra veto anterior na Seleção: “Frustrado”
Raphinha revela parabéns de Ronaldinho Gaúcho e lembra veto anterior na Seleção: “Frustrado”

Publicado em 05/10/2021, às 00h00 - Atualizado às 12h11 Redação


Pai do jogador do Leeds United, de 24 anos, tem amizade com R10. Ele é uma das novidades de Tite para os jogos da rodada tripla das Eliminatórias da Copa de 2022 no Catar

Demorou um pouco mais do que deveria, mas chegou a vez de Raphinha. Lembrado por Tite pela primeira vez em agosto para os jogos de setembro, Raphael Dias Belloli, o Raphinha, foi um dos nove vetados pelos clubes ingleses na última convocação.

De lá para cá, porém, o jogador de 24 anos jogou bem, fez três gols – destaque num time que vai mal das pernas em 16º lugar – e se reafirmou com a comissão técnica. Tite convocou novamente e Raphinha está com o grupo em Bogotá. Na primeira entrevista que deu como jogador da Seleção, o ponta lembrou a decepção anterior, mas também a cabeça fria para seguir trabalhando.

Com as cores da seleção brasileira, Raphinha participa de zona mista virtual — Foto: Reprodução

Com as cores da seleção brasileira, Raphinha participa de zona mista virtual — Foto: Reprodução

– Foi bem complicado, fiquei bastante frustrado. Claro que tive esperança de vir até o último momento. Mantive contato com Juninho, pessoal da comissão também, falando com pessoal do clube para ver se de alguma maneira isso poderia ser resolvido, mas, infelizmente, não foi. O que poderia fazer era manter minha cabeça no lugar, continuar trabalhando, porque sabia que em poucas semanas ia ter outra convocação. Então só podia manter foco, a cabeça boa para seguir trabalhando para ter outra oportunidade – comentou o jogador do Leeds United.

Ele recebeu felicitações especiais de amigos famosos. Um deles, o português Bruno Fernandes, jogador do Manchester United, que previa essa oportunidade a Raphinha há mais tempo. Outro, ainda mais especial: Ronaldinho Gaúcho. Por vídeo e por telefone, o “bruxo” conversou com o compatriota e o parabenizou pela chance. O pai de Raphinha é amigo pessoal de Ronaldinho.

– O Ronaldo me mandou vídeo, ligou para o meu pai e me deu parabéns. Fiquei mais feliz do que já estava. Receber elogios de grandes pessoas é muito gratificante – comentou.

Raphinha tinha três anos quando Ronaldinho Gaúcho fez um golaço contra a Venezuela, na Copa América de 1999. Os venezuelanos serão adversários do Brasil na próxima quinta-feira. O jogador brincou com a memória do lance e disse que seria maravilhoso se inspirar no amigo.

– Se eu puder fazer metade do que Ronaldo fez nesse jogo já vai ser muito marcante, muito importante para mim.

Confira mais trechos da entrevista de Raphinha

Convívio com Bielsa no Leeds

– Ele é um treinador muito exigente, dentro e fora de campo. Acredito que pela minha maneira de ser, muito exigente comigo mesmo também, acabou unindo duas coisas boas para o clube. Bielsa cobra sempre o máximo, tirando o máximo. Se o jogador conseguir entender que é a melhor maneira de evoluir individualmente e coletivamente todo jogador tem grande chance de evoluir.

Interesse da seleção italiana

– Recebi contato, conversei com Jorginho (brasileiro naturalizado italiano) também, mas é muito complicado mudar de seleção quando não vive, não é nem que não se sente à vontade. Mas você não faz parte daquilo. A seleção brasileira é meu objetivo desde sempre, desde pequeno. Mesmo com dupla cidadania que tenho a minha vontade sempre foi representar a Seleção. Mesmo com contato, com conversas que tive.

Papo com Juninho Paulista

– Foi muito frustrante não vir da última vez. Era minha primeira convocação, estava muito ansioso para vir e mostrar meu trabalho. Foram questões de governo, de país, que não cabia a gente resolver. Mantive mais contato com Juninho Paulista, que tentou resolver até o último momento, mas infelizmente não deu certo. O que me manteve mais tranquilo foi manter a cabeça boa, manter o foco para seguir trabalhando e fazendo boas partidas. Depois esperei o momento para comemorar novamente.

Cria da Restinga

– É um momento muito feliz na carreira, na minha vida. Não só represento a Restinga (em Porto Alegre), minha família, meus amigos, mas toda a comunidade onde cresci, morei até os 16 anos, que sempre me apoiou, de maneira ou de outra sempre tentaram me ajudar a manter foco no caminho certo. Não desviar foco para outras coisas.

“A ficha ainda não caiu”

– Mesmo estando aqui minha ficha ainda não caiu. Conversei mais cedo com meus pais, já treinei, encontrei jogadores que sempre fui fã, torcia por eles. E agora acho que só vai cair a ficha depois da estreia, da primeira partida. Acredito que é momento que mistura muitos sentimentos, muita alegria, muita felicidade e nervosismo pelo lado positivo. Mas logo logo vai passar esse frio na barriga.

.

.

.

Globo Esporte

Compartilhe