Diário de São Paulo
Siga-nos

Ex-atleta de bobsled processa federação norte-americana e pede indenização por lesões cerebrais

O ex-atleta de bobsled, William Person, decidiu processar a Federação de Skeleton e Bobsled dos Estados Unidos (USABS) por conta de traumas cranianos

Ex-atleta de bobsled processa federação norte-americana e pede indenização por lesões cerebrais
Ex-atleta de bobsled processa federação norte-americana e pede indenização por lesões cerebrais

Publicado em 30/09/2021, às 00h00 - Atualizado às 19h27 Redação


O ex-atleta de bobsled, William Person, decidiu processar a Federação de Skeleton e Bobsled dos Estados Unidos (USABS) por conta de traumas cranianos ocorridos durante treinamentos e competições da modalidade. O norte-americano, que competiu entre 1999 e 2007, pede indenização coletiva em razão das lesões cerebrais às quais os atletas foram expostos ao longo da carreira.

– O número de atletas de trenó com quem treinei e competi que lidam com lesões cerebrais é assombroso. Indivíduos que foram grandes competidores estão vivendo com depressão, demência e alguns estão tirando suas próprias vidas – disse Person em um comunicado divulgado por seu advogado.

O time de bobsled dos Estados Unidos em 2014 — Foto: Mike Ehrmann/Getty Images

O time de bobsled dos Estados Unidos em 2014 — Foto: Mike Ehrmann/Getty Images

Na ação, os advogados de Person argumentam que a entidade já sabia que o esporte poderia causar lesões cerebrais graves desde 1983. A USABS não teria compartilhado adequadamente as informações de que os treinos e competições poderiam levar a danos médicos significativos e irreversíveis.

Os advogados pedem que a compensação inclua um fundo para pagar pelo monitoramento médico intensivo de ex-atletas, bem como “o estabelecimento de um programa de compensação supervisionada pela justiça para aqueles indivíduos que já foram diagnosticados, tratados e ou feridos (incluindo morte) por lesão cerebral, incluindo distúrbios e doenças neurodegenerativas e comportamentais”.

Um porta-voz da USABS afirmou que a entidade ainda não pôde emitir uma posição sobre o processo, pois foram notificados recentemente e não tiveram tempo hábil para avaliar toda a documentação.

.
.
Globo Esporte
Compartilhe