Diário de São Paulo
Siga-nos
CULPA DA INFLAÇÃO

Correção da tabela do IR fica para 2023; inflação levou a tabela a mais de 31%

Estuda da Unafisco considera a inflação medida pelo IPCA acumulado de janeiro de 2019 até junho deste ano

Nova tabela para até 5 salários só em 2023 - Imagem:Agência  Brasil
Nova tabela para até 5 salários só em 2023 - Imagem:Agência Brasil

Publicado em 06/08/2022, às 10h57 Jair Viana


Com o índices de inflação em alta, a tabela do Imposto de Renda Pessoa Física(IRPF) bateu nos 31,3%  no período do atual governo, comandado por de Jair Bolsonaro (PL). Os cálculos são  Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco).

O estudo considera a inflação medida pelo IPCA  acumulado de janeiro de 2019 até junho deste ano. A m ais recente correção na tabela é de 2015.A defasagem tem alcançado uma aumento na tributação dos mais pobres e  levado ao pagamento de imposto um número cada vez maior de brasileiros.

O levantamento mostra ainda, que, entre junho 1996          a junho de 2022, essa defasagem da tabela do impostos de renda  pessoa física chega a 147,4%. No inicia deste ano estava em 134,5%. Atualizar a tabela foi proposta de campanha de Bolsonaro, reforçada pela ideia do hoje ministro da Economia, Paulo Guedes. Bolnsonara defendia ainda a isenção do IR para quem ganha até cinco salários mínimos. A  mesma promessa foi transferida para 2023, em eventual novo mandato. Nesta semana, Bolsonaro disse que para o próximo ano a correção já foi acertada entre ele e o ministro Paulo Guedes.

Compartilhe