Diário de São Paulo
Siga-nos

Cidades da Grande SP realizam vacinação simbólica contra Covid-19 para crianças; campanha geral deve começar em fevereiro

Cidades da Grande São Paulo como Santo André, São Bernardo do Campo e Suzano realizaram eventos iniciais de vacinação para crianças de 5 a 11 anos neste

Cidades da Grande SP realizam vacinação simbólica contra Covid-19 para crianças; campanha geral deve começar em fevereiro
Cidades da Grande SP realizam vacinação simbólica contra Covid-19 para crianças; campanha geral deve começar em fevereiro

Publicado em 15/01/2022, às 00h00 - Atualizado às 14h20 Redação


Crianças com comorbidade ou deficiência, além de indígenas e quilombolas, serão imunizados a partir de segunda-feira (17) na maior parte do estado. Vacinação de crianças sem comorbidades deve começar em meados de fevereiro.

Cidades da Grande São Paulo como Santo André, São Bernardo do Campo e Suzano realizaram eventos iniciais de vacinação para crianças de 5 a 11 anos neste sábado (15).

A vacinação infantil contra a Covid-19 vai começar com o grupo prioritário, que é composto por crianças com deficiência, comorbidades, indígenas e quilombolas. A campanha na capital paulista e na maior parte dos municípios do estado deve ter início na segunda-feira (17). Para crianças sem comorbidades, a imunização está marcada para a segunda quinzena de fevereiro.

Em Santo André, foram disponibilizadas 375 horários para agendamento neste sábado e no domingo (16).

Já em São Bernardo do Campo, onde também é preciso fazer o pré-cadastro e agendar um horário, e algumas vacinas infantis já foram aplicadas na sexta (14).

A cidade de Suzano também realizou um evento simbólico: ao longo deste sábado, dez doses serão aplicadas em crianças com comorbidades que moram no município.

Suzano inicia vacinação de crianças

Suzano inicia vacinação de crianças

As famílias das primeiras crianças vacinadas na região metropolitana relataram alívio com a chegada do imunizante para menores de 11 anos.

“É um sentimento que eu não tenho como explicar. É muito emocionante mesmo”, disse Gisele Romero, mãe do João Carlos.

O João tem distrofia muscular. Além das preocupações que a pandemia trouxe pra todo mundo, vários tratamentos que ele faz foram cancelados ou adiados.

“São dois anos nessa briga, nessa luta de tratamento cancelado, consultas interrompidas, pra quem tem a distrofia isso é muito complicado. E isso daqui é uma luz do fim do fim do túnel, que pode ser que as coisas comecem a funcionar no novo normal”, disse Gisele.

Crianças sem comorbidades

O governo de São Paulo afirmou nesta sexta-feira (14) que planeja iniciar a vacinação de crianças sem comorbidades na segunda semana de fevereiro. A faixa-etária de 11 anos será a primeira a receber as doses.

Nesta sexta-feira (14), o estado vacinou, em evento simbólico, a primeira criança do grupo prioritário, que é composto por crianças com deficiência, comorbidades, indígenas e quilombolas. A previsão é que a imunização para esse grupo comece nos postos de saúde na segunda-feira (17). É necessário que a criança esteja acompanhada pelos responsáveis e que leve documentos que comprovem a comorbidades.

O calendário pode sofrer alterações, uma vez que as doses distribuídas pelo Ministério da Saúde ainda não são suficientes para todo o grupo prioritário de São Paulo.

Veja o calendário previsto pelo governo estadual:

  • 14/01 a 10/02: crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, com deficiência, indígenas e quilombolas
  • Segunda semana de fevereiro até o final do mês: crianças sem comorbidades, começando pelas seguintes idades:
    – 11 anos
    – 10 anos
    – 9 anos (parcial)
  • As datas para o início das demais idades não foram divulgadas
Calendário de vacinação de crianças previsto pelo governo de São Paulo. — Foto: Divulgação/ Governo de SP

Calendário de vacinação de crianças previsto pelo governo de São Paulo. — Foto: Divulgação/ Governo de SP

Primeira criança vacinada

O indígena Davi Seremramiwe Xavante, de oito anos, que veio para São Paulo fazer um tratamento no Hospital das Clínicas, foi o primeiro a receber o imunizante no Brasil.

Davi mora atualmente na cidade de Piracicaba, no interior do estado, com uma tutora.

Indígena de 8 anos é a primeira criança a receber dose de vacina infantil contra Covid-19 em SP

Indígena de 8 anos é a primeira criança a receber dose de vacina infantil contra Covid-19 em SP

Nesta primeira etapa da campanha, serão vacinadas crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência, indígenas e quilombolas. Somente este público soma 850 mil doses.

Nos postos de saúde da capital paulista, porém, a vacina só será aplicada a partir de segunda (17), conforme divulgado pela prefeitura. O mesmo deve ocorrer nas demais cidades do estado.

A vacinação será feita de forma escalonada, em ordem decrescente, como ocorreu com a população adulta, mas o governo aguarda o recebimento de doses para divulgar um calendário. Veja como vai funcionar a vacinação infantil.

De acordo com a gestão estadual, a capacidade de vacinação do estado é de 250 mil crianças por dia, podendo este número ser até superior de acordo com a demanda das famílias paulistas.

O pré-cadastro para vacinação desse público foi liberado na quarta (12). Os pais podem acessar o site do governo paulista (www.vacinaja.sp.gov.br) para inserir os dados da criança e agilizar o atendimento nos postos de saúde do estado.

.
.
.
G1
Compartilhe