Diário de São Paulo
Siga-nos
Voto definido

Pesquisa diz que 71% dos eleitores já definiram o voto; dos que podem mudar voto, Ciro é o que mais perde

Na pesquisa Data Folha, desta quinta (29), o pedetista Ciro Gomes é que pode sofrer maior perda de votos

Ciro é o candidato com maior chance de perder eleitores. - Imagem:repodução Facebook
Ciro é o candidato com maior chance de perder eleitores. - Imagem:repodução Facebook

Publicado em 29/07/2022, às 16h13 Jair Viana


A disputa eleitoral deste ano, polarizada entre o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição e o ex-presidente, Luís Inácio Lula da Silva (PT), que tenta o terceiro mandato, tem 71% dos eleitores que dizem ter definido o voto e que não mudam de jeito nenhum.

O dado está na pesquisa do instituto Data Folha, divulgada na quinta-feira (28). No geral, o levantamento mostra estabilidade no posicionamento dos dois principais candidatos.

A pesquisa mostra que 28% dos eleitores entrevistados afirmam que ainda podem mudar o voto.

Outro dado que o levantamento constatou é que os eleitores mais convictos de sua preferência são os que declaram voto no ex-presidente Lula e em Bolsonaro. Entre os que dizem votar em Lula, 79% dizem estar totalmente decididos e 20% ainda podem mudar. Para Bolsonaro, os índices são de 79% e 21%.

A mesma convicção de voto não se aplica, segundo a pesquisa, aos eleitores de Ciro Gomes (PDT), que está na quarta tentativa de chegar á presidência da República e os de Simone Tebet (MDB), que disputa o cargo pela primeira vez. Esses eleitores afirmam que podem mudar o voto.

Dos que dizem votar em Ciro, 34% afirmam estar totalmente decididos e 65% podem mudar. Já em relação aos eleitores que declaram votar em Simone, 39% afirmam não mudar, mas para 59% é possível que mudem o voto.

Os candidatos Lula, Bolsonaro, Ciro e Simone são os que mais têm intenção de voto, segundo aponta a pesquisa Datafolha. No primeiro turno, Lula tem 47% das intenções de voto; Bolsonaro, 29%; Ciro, 8%; e Simone, 2%.

ELEITORES

O Diáro ouviu eleitores de Lula e Bolsonaro sobre o voto e a razão para não mudar. O jornalista Antônio Mesquita se declara eleitor do atual presidente. Um dos pontos que faz Mesquita votar está ligado à ideologia. “Com ela (ideologia) temos as decisões de rumos sobre costumes, direitos, liberdade, e democracia ‘real’, sem falácias”, observa.

Para o jornalista, não há dúvida quanto ao posicionamento de Bolsonaro sobre pautas que ele julga importantes. Mesquita acredita que o presidente já sinalizou sobre essas questões. “Bolsonaro já mostrou o rumo de seu Governo quanto essas questões, de forma clara e bem pontuais, além de outras frentes, especialmente no que diz respeito à corrupção e equilíbrio econômico, mesmo diante da pendência e crises mundiais”, diz.

Entre outras questões para não votar em Lula, o jornalista aponta “o desastroso governo petista, que o levou a ser condenado e preso, como tantos outros envolvidos, também petistas”.

O frentista Lauro Souza Pérpetuo, de Paranaíba (MS) disse que seu voto vai para o petista Lula. “Não mudo meu voto jamais. Com Lula tudo funcionava. Eu comprei carro, comprei móveis para minha casa e minha vida era bem tranquila”, disse.

OS CANDIDATOS

O Diário procurou Ciro Gomes e Lula para saber como avaliam a possibilidade de parte de seus eleitores mudarem o voto. As assessorias não responderam às mensagens deixadas no aplicativo.

Compartilhe