Diário de São Paulo
Siga-nos
No estúdio

Bolsonaro resiste a debate na TV Globo e histórico ajuda a explicar; veja decisão do presidente

Na eleição presidencial de 2018, no Jornal Nacional Bolsonaro deu problema. Além de insultar apresentadores, quebrou regras; relembre

Presidente Bolsonaro já deu problema na bancada do Jornal Nacional - Imagem:reprodução Instagram @jornalnacional / @jairmessiasbolsonaro
Presidente Bolsonaro já deu problema na bancada do Jornal Nacional - Imagem:reprodução Instagram @jornalnacional / @jairmessiasbolsonaro

Publicado em 05/08/2022, às 12h16 Jair Viana


A exemplo do que ocorreu na eleição passada, o presidente Jair Bolsonaro (PL) também resistiu para participar da rodada de entrevistas que a TV Globo vai realizar com os candidatos à presidência, a partir do próximo dia 22 no Jornal Nacional.

Em 2018, embora tenha aceitado participar, durante a entrevista ele quebrou as regras e passou a debater com os apresentadores do telejornal, William Bonner e Renata Vaconcellos. Desta vez, Bolsonaro será o primeiro a ser entrevistado e queria que a entrevista fosse feita no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente. A Globo negou o pedido.

Em sua passagem pela bancada do principal telejornal do país, em 2018, Bolsonaro insultou os âncoras, fazendo questionamentos e ainda apresentou uma brochura, alegando se tratar de material de erotização infantil, supostamente produzido por seu adversário à época, o ex-ministro da Educação, Fernando Haddad(PT). Relembre a entrevista:

Naquela eleição, ele foi entrevistado no dia 28 de agosto. Desta vez, o problema criado foi quanto ao local da entrevista.

Pelas regras do programa, discutidas com as assessorias de todos os presidenciáveis, o candidato deve comparecer aos estúdios da TV Globo, no Rio de Janeiro, mas Bolsonaro pediu que fosse no Palácio.

O ex-ministro e hoje um dos coordenadores da campanha de reeleição de Bolsonaro, Fábio Wajngarten, chegou a argumentar que Lula e a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) foram entrevistados do Alvorada quando disputavam a reeleição.

"É absolutamente justo e natural que o presidente em exercício, caso opte por participar das sabatinas televisivas, que elas ocorram onde ele desejar. A tradição dos veículos demonstra exatamente isso", disse em uma rede social.

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), também se manifestou em sua conta numa rede social, afirmando que seu pai participaria da entrevista direto do Palácio Alvorada. A Globo desmentiu e conseguiu confirmar a participação do presidente no estúdio.

Pelo acordo firmado com os coordenadores das campanhas dos presidenciáveis, as entrevistas seguirão uma agenda feita por sorteio.

Por esta regra, ficou definido o seguinte calendário: 22/8 com Jair Bolsonaro (PL), 24/8 com Ciro Gomes (PDT), 25/8 com Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 26/8 com Simone Tebet (MDB).

Essas datas foram sorteadas na última segunda-feira, 29 de julho. As entrevistas devem ter duração de 40 minutos e serão conduzidas pelos jornalistas William Bonner e Renata Vasconcellos.

Compartilhe