Diário de São Paulo
Siga-nos

Do Ajax de 37 gols, Antony vê receita para Seleção afiar artilharia: “Paciência com a bola”

Destaque do Ajax, campeão olímpico e convocado para a seleção brasileira pela primeira vez, Antony chega cheio de esperança ao grupo de Tite a pouco mais de

Do Ajax de 37 gols, Antony vê receita para Seleção afiar artilharia: “Paciência com a bola”
Do Ajax de 37 gols, Antony vê receita para Seleção afiar artilharia: “Paciência com a bola”

Publicado em 06/10/2021, às 00h00 - Atualizado às 12h27 Redação


Ponta vibra com primeira convocação e lembra de origens em Guarulhos e Osasco

Destaque do Ajax, campeão olímpico e convocado para a seleção brasileira pela primeira vez, Antony chega cheio de esperança ao grupo de Tite a pouco mais de um ano da Copa do Mundo no Catar. Na quinta-feira, o Brasil enfrenta a Venezuela, em Caracas, às 20h30 – horário de Brasília – e o ex-são-paulino espera mostrar serviço para permanecer na lista de convocados.

No time holandês, Antony faz parte de um ataque que encanta nesse início de temporada, com 37 gols em 11 jogos – média de 3,36 gol por partida. Autor de dois gols e duas assistências, o jogador lembrou que o conceito de jogo do Ajax e da Seleção é parecido. O time de Tite fez 19 gols em oito jogos – média de 2,37. Ele vê a mesma receita para as duas equipes contra times fechados.

– Acredito que tem que ter paciência com a posse de bola. A gente no Ajax trabalha muito isso, tendo paciência com os adversários. Vendo os jogos da Seleção, eles têm muita criatividade. Observo, acompanho os jogos, vejo e aprendo isso também. Com certeza é preciso ter paciência e esperar o melhor momento para atacar – comentou o estreante da Seleção.

Antony é um dos destaques do Ajax no início de temporada — Foto: Reprodução

Antony é um dos destaques do Ajax no início de temporada — Foto: Reprodução

Nascido em Osasco – na coletiva de imprensa, ele lembrou dos “dogões que comia” quando era criança -, Antony cresceu jogando bola em Guarulhos e se mostrou orgulhoso da trajetória. Lembrou das conversas que tem com o irmão, da felicidade dos pais, da mulher e do pequenino Lorenzo, seu filho. A criança o vê na TV e reconhece o papai em ação pelo Ajax. Agora vai ver na Seleção.

– É um sonho de vida. Tenho muitas metas nesta temporada, que são conquistar títulos, crescer cada vez mais, aqui também na Seleção e me firmar. Mas é passo a passo – disse o atacante.

– Sou um jogador que trabalho muito todos os dias. Não tinha pressa alguma em esperar chegar meu momento de ser convocado para a seleção principal. Estou tendo privilégio de vestir essa camisa. O Tite conhece minhas características e estou aqui só para ajudar, para aprender com todos os jogadores – comentou Antony.

“Trote é mais difícil…”

Um dos três novatos dessa convocação, ao lado de Raphinha e Arthur Cabral, Antony contou que está ansioso também pelo trote – a brincadeira promovida pelos integrantes da seleção brasileira para receber os estreantes. Normalmente no jantar de véspera da partida, com “apresentação” formal de cada um e número musical ou de dança.

– Olha… o trote é mais difícil do que o jogo. A minha unha estava grande e já comi tudo. Mas vamos ver. Tem que ser algo natural, se pensar muito acaba esquecendo – brincou Antony, sobre os “preparativo”.

Aos 21 anos, ele chama a atenção de grandes times do futebol mundial. Recentemente, o seu nome foi ligado ao Bayern de Munique e ao Barcelona. Com a mesma paciência que receitou no Ajax com a bola e para chegar à Seleção, o jogador disse que não pensa em transferência neste momento,

– Fico feliz pelo reconhecimento do meu trabalho, de ter pessoas olhando. Mas agora minha cabeça é Ajax e Seleção. As coisas acontecem naturalmente – disse o ponta brasileiro.

.
.
.
Globo Esporte
Compartilhe