Diário de São Paulo
Siga-nos

Unicamp defende TSE e repudia falas de Bolsonaro sobre urnas eletrônicas

Universidade Estadual de Campinas integra comissão de transparência das eleições. Em reunião com embaixadores, presidente voltou a fazer acusações já desmentidas

Bolsonaro discursa durante encontro com embaixadores, nesta segunda-feira (18), em Brasília - Imagem: Reprodução | TV Brasil
Bolsonaro discursa durante encontro com embaixadores, nesta segunda-feira (18), em Brasília - Imagem: Reprodução | TV Brasil

Publicado em 21/07/2022, às 08h23 G1


Entidade que integra a Comissão de Transparência das Eleições, a Unicamp repudiou, em nota publicada nesta quarta-feira (20), os ataques sem provas feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao processo eleitoral, em especial às urnas eletrônicas, durante reunião com embaixadores. A universidade também manifestou apoio ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
O encontro ocorreu na segunda-feira (18) e será investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que sorteou a ministra Rosa Weber para relatar o pedido de apuração. O presidente usou a estrutura do governo federal para repetir suspeitas já desmentidas sobre as eleições de 2018 e a segurança das urnas.

Militares da ativa dizem ao STFque não endossam ataques de Bolsonaro às urnas
Procuradores e juízes nas redes sociais reage à fala de Bolsonaro contra urnas
Sandra Cohen: Bolsonaro plagia narrativa fictícia de fraude eleitoral tramada por Trump
A Universidade Estadual de Campinas argumentou que as afirmações do presidente "não encontram respaldo em fatos reais e foram motivo de indignação e constrangimento em âmbito nacional e internacional".
Segundo a universidade, o TSEdesenvolve com seriedade o trabalho de organizar as eleições, "em particular no que se refere ao sistema das urnas eletrônicas, em vigência no país desde 1996".
Além disso, completou que celebrou uma parceria com o tribunal para ampliar a fiscalização e transparência do processo eleitoral.

"A Universidade entende que tais ações evidenciam o comprometimento dessas instituições com o contínuo aprimoramento do sistema eleitoral, com a sua lisura e com a soberania popular", finalizou.

Compartilhe