Diário de São Paulo
Siga-nos

Mais de 1 milhão de alunos da rede municipal de ensino da cidade

Segundo a Prefeitura de SP, o retorno do ano letivo terá a distribuição do chamado ‘vale uniforme’ para cerca de 200 mil famílias carentes da cidade que não têm acesso à internet e ainda não fizeram a aquisição dos uniformes escolares pela plataforma online

Imagem: Reprodução | TV Tem via Grupo Bom Dia
Imagem: Reprodução | TV Tem via Grupo Bom Dia

Publicado em 25/07/2022, às 09h21 G1


Mais de um 1 milhão de alunos da rede municipal de Educação da cidade de São Paulo retornam às aulas nesta segunda-feira (25), após o recesso escolar da rede pública que vigorou entre os dias 11 e 22 de julho. O ano letivo na cidade vai até 22 de dezembro de 2022.
Segundo a Secretaria Municipal de Educação (SME), a partir desta segunda, mais de 200 mil famílias da rede pública municipal também receberão o chamado ‘vale uniforme’ da Prefeitura de São Paulo, para que as famílias que não têm acesso à internet possam fazer a aquisição dos chamados ‘kits escolares’ através da plataforma ‘Use Uniforme’ – de comercialização de uniformes escolares.
Conforme publicado pelo g1 no início de julho, o Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM) pediu explicações para a gestão Ricardo Nunes (MDB) sobre a demora na entrega dos uniformes escolares para parte dos alunos da rede municipal de ensino (veja mais aqui) .
A SME promete fazer uma nova ação nas comunidades carentes da cidade para orientar as famílias mais pobres sobre a compra desses uniformes. A campanha terá estandes em cinco bairros: Jardim Celia, Cidade Estevão de Carvalho (Zona Leste), Morada do Sol (Zona Oeste) e Jaraguá (Zona Norte). Além de já conseguirem os kits na hora, os pais poderão tirar dúvidas e testar a experiência da aquisição online.
O benefício liberado para as famílias nesta segunda (25) tem validade até o mês de outubro. Após esse mês, o valor disponível será zerado e só no próximo ano as crianças terão direito a novos créditos, de acordo com a SME.

‘Mães Guardiãs’
O retorno das aulas nas escolas deve contar com a apertura de todas as escolas municipais da cidade, que contarão nesse segundo semestre com a ajuda de 3,6 mil mães, que foram contratadas pela Prefeitura de São Paulo pelo programa ‘Mães Guardiãs’.
As mães trabalhadoras foram contratas em regime de mutirão e auxiliaram na realização de protocolos sanitários contra a Covid-19 dentro das escolas da rede municipal.
O retorno às aulas também é importante para a continuidade da merenda escolar sendo servida em todas as escolas. Até a última sexta-feira (22), a Prefeitura de São Paulo serviu, pela primeira vez, durante o recesso escolar, refeições às crianças e adolescentes de 4 a 14 anos que participaram do programa 'Recreio nas Férias'.
O objetivo foi combater a desnutrição infantil na periferia da cidade, que se acentuou durante a pandemia. O programa Fantástico, da TV Globo, mostrou no último domingo (24) a situação dessas famílias.
Segundo a gestão municipal, cerca de 87 mil alunos da rede municipal da cidade estão em situação de pobreza e 328 mil em situação de pobreza extrema. No total, são 415 mil crianças em vulnerabilidade social na cidade.

Compartilhe