Cultura Destaque Principal Diversão Entreternimento Viva Vozes

E se for verdade, qual o problema de Pedro Scooby ter ficado com um homem?

Redação
Escrito por Redação

Jornalista comete uma sucessão de closes errados ao expor nas redes sociais um suposto relacionamento que teria tido com o ex de Anitta e Piovanni

Analisando a “notícia”, na minha humilde opinião como membro da comunidade LGBTQI+, o que esse jornalista quer é palco, mídia. Aparecer mesmo! E, na certa, já deve estar marcando para dar entrevista em programas como o de Luciana Gimenez ou para Sônia Abrão. Isso se ele não está cogitando entrar para uma possível A Fazenda 12.

O jornalista diz que tem “provas”: mostrou uns prints de conversas que teria tido com Scooby via direct do Instagram. Para completar, um suposto vídeo íntimo no qual um rapaz que “poderia” ser o ex de Anitta praticando sexo oral em outro homem vazou nas redes no mesmo período. Para fabricar conversas fakes em aplicativos, existem dezenas de recursos na internet.

O danado do vídeo está fechado demais e a galera fica encontrando pinta ou tatuagem que também podem ser aplicadas online. O próprio Scooby fez uma publicação em suas redes sociais para ironizar o cara: falou que não foi para Búzios em 2017, que não fala expressões como as da conversa exibida e, em outras palavras, chamou Luan de “feio”, afirmando ser “amigo dos gays mais bonitos do país”.

Ao buscarmos o perfil de Luan no Instagram, o mesmo encontra-se “fechado” — estratégia de “influencers” ou “biscoiteiros” para conseguir mais seguidores (e que ele está conseguindo, já que tem mais de 30 mil agora). As publicações foram todas apagadas (provavelmente por medo da galera vasculhar o passado dele). Ah, outro detalhe: na descrição do perfil que tem sido atribuído a ele, o mesmo se apresenta como “Já fui repórter no SBT!” e abre um canal para possíveis “parcerias”.

Eu tenho quase 15 anos de jornalismo e já passei por vários veículos do Brasil, nem por isso eu fico esfregando todos eles na cara das pessoas. Nós, jornalistas, geralmente estamos mais focados no nosso ofício atual. O meu, por exemplo, escrever para o Portal IG. Luan se afirma “jornalista” mas destaca um ofício do passado, até porque o atual parece mesmo querer aparecer às custas de um cara famoso. “Parcerias via direct”, não é?

A única coisa que importa é o close errado. E, meu caro, se dizer jornalista e ficar lembrado por causa de uma polêmica é um lance bem complicado para a sua “carreira”.

Armário

Digamos que a história seja mesmo verdade. Para que revelar isso agora? Dois anos depois, expondo o cara para que? Se não é para ganhar mídia e seguidores… Se tivesse rolado mesmo e ele quisesse vingança contra Scooby, por que não soltou isso ainda em 2017? Mais fácil agora, já que você “já foi repórter do SBT” e o nome de Scooby está em alta…

Outro ponto gravíssimo desse close errado: seja o affair verdadeiro ou não, NINGUÉM tem o direito de tirar uma pessoa do armário! Na comunidade LGBT, sempre enfatizamos que não existe “opção sexual”, mas sim “orientação sexual”. Ninguém “opta” por ser gay, lésbica, bi, trans ou o que seja.

Nossa única escolha é sair do armário ou não, revelar nossa sexualidade para pais, amigos e sociedade ou não. E isso é um direito nosso. Todo mundo sabia que personalidades como Ricky Martin e Diego Hypólito eram gays, mas a vida pessoal de todo mundo deve ser respeitada. Ninguém deve chegar e expor o outro. Uma hora, se eles se sentirem confortáveis, eles vão falar.

Bancando a Leona Vingativa (personagem clássica do universo gay) ou não, Luan não tem o direito de chegar em público e dizer que alguém é gay sem a autorização da pessoa. Acho que esse aí deve voltar para a escola de jornalismo e para a escola onde ensinam a gente a ser gay (que os bolsonaristas falam que existe).

Bissexualidade

E outra, amigos colegas de imprensa, e SE a história for verdade mesmo, qual o problema de Pedro Scooby ter ficado com um homem? Acho que o problema em questão seria ele ter traído Luana Piovanni, caso eles não tivessem um relacionamento aberto (mas até ela já saiu em defesa do ex-marido nesta história).

Bissexualidade existe, mesmo que a sociedade — hétero e até a gay mesmo – diga que é “tudo uma safadeza”. Uma pesquisa realizada pela J. Walter Thompson e publicada no ano passado revelou que 65% da geração Y (pessoas entre 21 e 30 anos) se identifica como heterossexual, enquanto na geração Z (13 e 20 anos), aqueles que se declararam heterossexuais compõem 48% dos entrevistados.

O detalhe é que a porcentagem dos que se declaram homossexuais continuou a mesma (6%) em ambas as gerações. O que mudou então foi a porcentagem de pessoas que antes se diziam “héteros” e agora afirmam ter algum grau de bissexualidade.

Lembro que assisti a um vídeo bem bacana no canal “Põe na Roda”, do meu amigo Pedro Castilho (esse, sim, um jornalista), no qual ele debatia sobre bissexualidade com o psicólogo especialista em diversidade Cláudio Picázio. Na conversa, o Dr. Cláudio comentava que todo ser humano é bissexual na esfera afetiva, mas não necessariamente na identidade sexual.

Quando crianças, os meninos amam suas mães (gênero oposto) e seus pais (mesmo gênero) da mesma maneira. Da mesma maneira, as meninas. Quando crescemos, temos carinho grande (e até amor) pelo nosso melhor amigo, seja ele homem ou mulher. Ou mesmo a admiração por um cantor ou ator. Isso nos torna “afetivamente bissexuais”. O que não quer dizer que vamos para cama com homens e mulheres.

Na matéria que li aqui no Portal iG sobre esses rumores com Pedro Scooby  , é impressionante a quantidade de hétero sem noção que vai no teclado só para comentar besteiras do tipo “é viado mesmo”, “era surfista e agora queima rosca”. Se vocês leram esta coluna até agora (provavelmente não, porque esse povo só lê título de matéria), só lembrando: internet não é terra de ninguém e LGBTfobia é crime, beleza?!

Atualização em 02/10/2019: Luan Santos entrou em contato com a redação do iG e confirmou ter iniciado a discussão do suposto caso com Pedro Scooby, negado pelo surfista, mas alega que nunca prometeu fazer transmissão ao vivo para exibir provas, o que teria sido feito por um perfil falso com seu nome, que juntou 30 mil seguidores em 48h.

 

Por Diogo Carvalho/IGAY

 

 

 

Sobre o autor

Redação

Redação