Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Esportes

Pilotos pressionam FIA por decisão em incidente de Verstappen e Hamilton

Publicado

em

Pilotos pressionam FIA por decisão em incidente de Verstappen e Hamilton

Direção da prova decidiu não investigar espalhada do holandês sobre rival para impedir ultrapassagem na volta 48 do GP de São Paulo no último domingo; Mercedes pediu revisão do lance

Já faz quatro dias que o GP de São Paulo foi encerrado, com vitória de Lewis Hamilton. Mas a principal polêmica da corrida continua mesmo na semana do GP do Catar, com o pedido de revisão da Mercedes pela não-punição de Max Verstappen, após o holandês espalhar o carro sobre o rival para defender-se de uma ultrapassagem na volta 48 e tirar ambos da pista.

O tema foi assunto entre os pilotos nas coletivas desta quinta-feira da etapa estreante no calendário da Fórmula 1 – com direito a críticas aos critérios adotados pela entidade para julgar incidentes.

Max Verstappen e Lewis Hamilton disputam liderança do GP de São Paulo na volta 48 — Foto: XPB Images

Max Verstappen e Lewis Hamilton disputam liderança do GP de São Paulo na volta 48 — Foto: XPB Images

O lance polêmico foi na curva da Descida do Lago, no Autódromo de Interlagos: prestes a ser ultrapassado por dentro por Hamilton, Verstappen espalhou o carro para repelir a ultrapassagem, embora o rival já estivesse com quase todo o carro à frente.

Os dois saíram da pista e mantiveram as posições, com o holandês na liderança até ser ultrapassado na volta 59. Os comissários chegaram a notar o lance, mas descartaram a investigação; diretor de provas da FIA, Michael Masi explicou que não haver posição perdida motivou a decisão.

Apesar disso, o julgamento foi feito sem a análise da câmera de bordo do piloto da RBR, registro que a equipe só entregou nesta terça e motivou o pedido por direito de revisão da Mercedes.

A FIA convocou representantes da Mercedes para debater nesta quinta-feira o pedido de direito de revisão, mas após conversar também com membros da RBR, decidiu que só divulgaria nesta sexta-feira a decisão do caso. O assunto também será pauta da reunião da Associação dos Pilotos, presidida por George Russell, da Williams.

Charles Leclerc

 

Melhor da Ferrari no GP de São Paulo com um quinto lugar, Leclerc foi um dos pilotos que cobrou a Fórmula 1 pela decisão do lance. O monegasco viveu um lance parecido há dois anos, no GP da Áustria de 2019, no qual acabou empurrado por Verstappen e perdeu a chance de conquistar sua primeira vitória na categoria.

– Você precisa se adaptar a cada decisão que os comissários estão tomando. Quando eu soube que não teria punição para Max na Áustria, mudei minha abordagem. Nós sempre tentaremos correr nos limites do que estamos autorizados a fazer. E é o que farei se essas coisas forem permitidas agora. Sinceramente, eu não ligo pro resultado disso. Mas quero que as coisas sejam explicadas para os pilotos. Se isso for liberado, ultrapassar pelo lado de fora vai ser muito difícil – opinou Leclerc.

Charles Leclerc, da Ferrari, na coletiva do GP do Catar da F1 — Foto:  Andrej Isakovic - Pool/Getty Images

Charles Leclerc, da Ferrari, na coletiva do GP do Catar da F1 — Foto: Andrej Isakovic – Pool/Getty Images

Carlos Sainz

 

Companheiro de Leclerc na Ferrari, o espanhol também se mostrou descontente quanto ao critério adotado para avaliar incidentes nas disputas na F1. Para embasar o argumento, Sainz resgatou outro lance também no circuito austríaco de Spielberg mas, dessa vez em 2021, envolvendo Sergio Pérez da RBR, Lando Norris da McLaren e Leclerc.

– Um piloto usa todas as oportunidades a seu favor. Se isso não foi punido, quando estiver numa situação semelhante eu sei que poderei fazer o mesmo. O carro que vem por dentro sempre tem a preferência, mas precisamos deixar tudo bem resolvido. Vimos na Áustria que empurrar alguém para fora da pista gera uma punição de 5s, mas em outros circuitos pode não ser assim – comentou o espanhol.

Na ocasião na Áustria, Norris foi punido com 5s por empurrar Pérez para fora da pista na briga pela vice-liderança da prova. O mexicano ainda recebeu na mesma prova, ao todo, 10s por provocar o mesmo incidente duas vezes com Leclerc.

Lando Norris empurrou Sergio Pérez para fora da pista na relargada do GP da Áustria — Foto: Andrej Isakovic/AFP via Getty Images

Lando Norris empurrou Sergio Pérez para fora da pista na relargada do GP da Áustria — Foto: Andrej Isakovic/AFP via Getty Images

Pierre Gasly

 

Piloto da AlphaTauri, o francês se juntou aos rivais ao questionar a coesão nas decisões tomadas pela FIA ao longo da temporada, mas foi ainda mais incisivo ao defender que Verstappen deveria ser punido por espalhar o carro sobre Hamilton em Interlagos.

– Cheguei a pedir esclarecimentos para minha equipe sobre o que posso ou não fazer ao atacar um rival. Para mim, como piloto, não é fácil. Quando vemos os cenários de Kimi Raikkonen, Fernando Alonso e Giovinazzi em Austin, Max e Lewis em São Paulo, e as diferentes reações dos comissários… Alguns às vezes pedem para deixar o adversário passar, ou dão 5s de punição, ou não fazem nada. Quando saímos da pista, deve haver uma penalidade. Não é possível não haver consequências para este tipo de comportamento – cobrou Gasly.

Fernando Alonso duelou com as duas Alfa Romeos no GP dos EUA da F1 — Foto: Motorsport Images

Fernando Alonso duelou com as duas Alfa Romeos no GP dos EUA da F1 — Foto: Motorsport Images

O episódio citado pelo francês da AlphaTauri se deu no GP dos EUA, em outubro, quando Fernando Alonso se envolveu em duas disputas com Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi e acabou empurrando a dupla da Alfa Romeo para fora da pista; no entanto, enquanto o italiano teve que devolver a posição que ganhou no lance, o bicampeão não ficou feliz por Raikkonen não fazer o mesmo.

Daniel Ricciardo

 

Ex-colega de Verstappen na RBR entre 2016 e 2018, o australiano da McLaren se esquivou de declarações contundentes sobre o assunto, normatizando a defesa dura por posições no contexto de uma disputa pelo título mundial. No entanto, ele também reconheceu que o lance pode ter passado do limite.

– Quando você está brigando por uma vitória nessa altura do campeonato, vai fazer tudo que puder para manter essa liderança. Os dois saíram da pista, então talvez tenha ultrapassado os limites, eu diria sim que foi muito duro. Mas não sei. Vou ficar fora disso. Eu não sei se isso vai mudar se acontecer de novo – comentou o piloto.

 

Lewis Hamilton, da Mercedes, na coletiva do GP do Catar  — Foto:  Andrej Isakovic - Pool/Getty Images

Lewis Hamilton, da Mercedes, na coletiva do GP do Catar — Foto: Andrej Isakovic – Pool/Getty Images

Protagonista do lance, Hamilton confessou ter mudado sua visão ao assistir a onboard de Verstappen; no domingo, o piloto havia minimizado o incidente. Ainda assim, o britânico da Mercedes também evitou falar sobre o assunto e deixou as discussões extra-pista com sua equipe.

– Eu falei aquilo porque é a mentalidade que preciso ter. Eu só precisava seguir em frente, e também seria difícil julgar algo que não pude ver de todos os ângulos. Revendo tudo, tenho um ponto de vista diferente agora. Mas estou depositando minha energia no ajuste do carro, não é algo no qual eu queira mergulhar mais. Sei que a equipe está discutindo isso agora, então deixo isso com eles – concluiu.

A três corridas do fim da temporada, Verstappen ainda tem 14 pontos de vantagem sobre Hamilton. O holandês manteve o discurso de entender o lance como natural em uma disputa acirrada e garantiu que não hesitaria em repetir a manobra caso esteja na mesma situação no futuro.

Infos e horários do GP do Catar da F1 — Foto: Infoesporte

Infos e horários do GP do Catar da F1 — Foto: Infoesporte

.

 

 

.

 

 

.

 

Globo Esporte

mais lidas