Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Mundo

Papa: trigo não pode ser usado como arma de guerra

Francisco se diz preocupado com aumento da fome no mundo. País é um dos principais produtores e exportadores do grão

Publicado

em

Governo enviou 300 servidores para ajudar em buscas no Amazonas

O Papa Francisco pediu nesta quarta-feira (1º) o fim do bloqueio às exportações de trigo da Ucrânia, bloqueados em portos do país por conta da invasão da Rússia. Pela primeira vez, o pontífice se mostrou preocupado com a fome no mundo, e pediu que o grão não seja “uma arma de guerra”.

“O bloqueio das exportações de trigo da Ucrânia é muito preocupante porque a vida de milhões de pessoas depende disso, especialmente em países pobres”, declarou a fieis que acompanhavam a audiência semanal do Vaticano, na praça São Pedro.

Papa Francisco chega para discurso no Vaticano em que pediu fim do bloqueio do trigo da Ucrânia, em 1º de junho de 2022.  — Foto: AFP

Papa Francisco chega para discurso no Vaticano em que pediu fim do bloqueio do trigo da Ucrânia, em 1º de junho de 2022. — Foto: AFP

A Ucrânia é, ao lado da Rússia, o principal produtor de trigo do mundo inteiro. Desde o início dos ataques russos em seu território, em 24 de fevereiro, as remessas do grão estão impedidas de sair do país por causa de bloqueios em estradas e portos, principalmente os de cidades controladas pela Rússia, como Mariupol, no sul.

Francisco, que tem feito duras críticas contra a Rússia desde o início da guerra, exigiu que os portos sejam liberados, para que as remessas de trigo possam ser enviadas principalmente a países pobres.

“Eu faço um apelo sincero para que esforços sejam feitos para resolver esse problema, para garantir o direito universal à nutrição. Por favor, não usem o trigo, um alimento básico, como arma de guerra”.

Esta foi a primeira vez que o pontífice falou sobre o aumento da fome no mundo. A Organização das Nações Unidas (ONU) aponta que a guerra já provoca uma crise mundial de alimentos, que está piorando por conta dos bloqueios.

G1

mais lidas