Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Papa se emociona ao receber pela primeira vez bispos chineses em sínodo no Vaticano

Publicado

em

Papa se emociona ao receber pela primeira vez bispos chineses em sínodo no Vaticano

Encontro de bispos ocorre sob a sombra dos recentes escândalos de abusos sexuais na Igreja Católica.

Papa se emociona em missa no Vaticano

Papa se emociona em missa no Vaticano

“Hoje, pela primeira vez, estão aqui conosco dois bispos da China continental. Vamos dar a eles as nossas calorosas boas-vindas”, disse o Papa na Praça São Pedro, sendo interrompido por aplausos e emocionando-se.

A presença dos chineses foi possível graças a um acordo histórico firmado pelo Vaticano no início deste mês que melhorou os laços com o governo comunista chinês. O acordo, que demorou 10 anos para ser alcançado, concede ao Vaticano seu desejo antigo de opinar na escolha dos bispos chineses, mas críticos o rotularam como uma capitulação ao governo comunista.

Bispos chineses John Baptist Yang Xiaoting e Joseph Guo Jincai participam nesta quarta-feira (3), pela primeira vez, de sínodo no Vaticano — Foto: Tony Gentile/Reuters

Bispos chineses John Baptist Yang Xiaoting e Joseph Guo Jincai participam nesta quarta-feira (3), pela primeira vez, de sínodo no Vaticano — Foto: Tony Gentile/Reuters

Na China, os cerca de 12 milhões de católicos se dividiram em uma igreja clandestina leal ao Vaticano e a Associação Católica Patriótica supervisionada pelo Estado.

Mais de 250 outros bispos de todo o mundo participarão do encontro de um mês, e cerca de 40 jovens foram convidados a participar como observadores. Os sínodos ocorrem a cada poucos anos para tratar de um tópico específico.

Embora o título oficial do sínodo seja “Jovens, Fé e Discernimento Vocacional”, os recentes escândalos globais de abusos sexuais na Igreja Católica se faz sentir nos bastidores, e muitos acreditam que será parte da pauta informal dos debates.

A Igreja está implicada em uma crise de abusos sexuais em países que incluem Chile, Alemanha, Estados Unidos e Austrália, e o Vaticano sabe que precisa reconquistar os jovens desencantados.

Credibilidade do sínodo

O sínodo começou um dia depois de uma nova enquete do Centro de Pesquisas Pew revelar que a confiança na maneira como o Papa está lidando com a crise despencou entre os católicos norte-americanos.

Indicando a pressão extraordinária que a Igreja está sofrendo por causa dessa crise, o cardeal Charles Chaput, arcebispo do estado norte-americano da Filadélfia, pediu que o “sínodo da juventude” fosse cancelado para que o Vaticano pudesse se concentrar nos preparativos de outra reunião de bispos, sobre a prevenção de abusos sexuais e que será realizada em fevereiro do ano que vem.

O cardeal Joseph Tobin, arcebispo de Newark, em Nova Jersey, ficou em casa para lidar com as consequências do escândalo, e o bispo holandês Robert Mutsaerts, de Den Bosch, boicotou o encontro dizendo que o sínodo carece de credibilidade.

Fé da próxima geração

Na abertura do sínodo, o Papa exortou líderes católicos a não deixarem que a fé da próxima geração seja extinta “por nossas limitações, erros e pecados”.

“Que o Espírito nos dê a graça de ser uma memória que é diligente, viva e eficiente, que não se permite extinguir de uma geração para a outra ou ser esmagada pelos profetas da perdição e do infortúnio, por nossas limitações, erros e pecados”, disse Francisco em sua homilia.

Francisco disse esperar que o encontro, que termina em 28 de outubro e resultará em um documento papal, seja “ungido pela esperança”.

mais lidas