Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Mundo

O que se sabe sobre a base militar estratégica ucraniana perto da Polônia que foi atacada pela Rússia

Publicado

em

Governo enviou 300 servidores para ajudar em buscas no Amazonas

No que parece ser a mais recente escalada do conflito na Ucrânia, as forças russas dispararam mísseis neste domingo (13) contra uma base militar no oeste do país, a apenas 10 km da fronteira com a Polônia, membro da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte, aliança militar ocidental).

Autoridades ucranianas disseram que oito mísseis atingiram o Centro Internacional para Manutenção da Paz e Segurança (IPSC, na sigla em inglês) de Yavoriv, na região de Lviv.

Pelo menos 35 pessoas morreram e 134 ficaram feridas.

De acordo com informações preliminares, os ataques foram realizados por aviões que partiram da cidade russa de Saratov.

O governador da região de Lviv, Maksym Kozytsky, disse que no total mais de 30 mísseis foram disparados e que vários foram interceptados pelas forças ucranianas.

O que é o IPSC

 

Localizado a 30 km de Lviv, o IPSC foi construído em 2007 para treinar as forças armadas ucranianas. Também recebe regularmente tropas internacionais.

É normalmente usado para treinamento pelos militares ucranianos e membros da Otan, principalmente como parte da Parceria para a Paz, um programa destinado a melhorar a cooperação entre membros e não membros da aliança militar, particularmente para missões de manutenção da paz.

A Ucrânia não é membro da Otan — sua aspiração de fazer parte da aliança militar irrita o presidente russo Vladimir Putin e seria um dos motivos por trás da invasão do país pela Rússia.

Um documento da Otan sobre o centro diz que o objetivo é fornecer treinamento de segurança e desminagem para tropas ucranianas e de outros países.

A base tem uma área de cerca de 390 quilômetros quadrados e pode acomodar até 1.790 pessoas, embora não se saiba quantas estavam no local no momento do ataque.

Myroslava Petsa, jornalista do serviço ucraniano da BBC, diz que o IPSC é um dos dois locais na Ucrânia onde ocorrem exercícios militares internacionais.

A Ucrânia realizou a maioria de seus exercícios com países da aliança militar ocidental nesta base antes de ser invadida pela Rússia.

Fotos do início de fevereiro mostram instrutores do Exército dos Estados Unidos participando de exercícios na base com militares ucranianos.

O centro fica a 10 quilômetros da fronteira da Polônia e, portanto, da União Europeia e da Otan.

O ministro da Defesa ucraniano, Oleksii Reznikov, confirmou que instrutores militares estrangeiros trabalham na base militar atacada pela Rússia.

“Este é um novo ataque terrorista contra a paz e a segurança perto da fronteira EU-Otan”, escreveu Reznikov no Twitter.

A posição de Lviv no oeste da Ucrânia tornou a cidade um centro importante para a chegada de suprimentos de ajuda militar e humanitária da Otan. Por ali também passa grande parte dos ucranianos que fogem do conflito armado – desde o início da guerra, 1,6 milhão dos 2,6 milhões de refugiados atravessou a fronteira da Polônia.

É a primeira vez que Lviv foi alvo de um ataque russo.

Segundo o repórter da BBC Hugo Bachega, que estava perto da base militar atacada pela Rússia, as sirenes de ataque áereo soaram e moradores de um bloco de apartamentos não muito longe do local correram para um abrigo.

“Autoridades confirmaram agora que oito mísseis russos atingiram o Centro Internacional de Manutenção da Paz e Segurança na instalação militar de Yavoriv, perto da fronteira com a Polônia, membro da Otan”.

“Lviv, com uma população de cerca de 700.000 habitantes, tornou-se um centro para pessoas que fogem do conflito, bem como para a chegada de ajuda e armas muito necessárias”.

“No sábado, as ruas estavam movimentadas, com música ao vivo em uma das principais praças e mercados ao ar livre”.

“Mas os preparativos para um ataque estavam em andamento, com muitas estátuas no centro da cidade, que é Patrimônio Mundial da Unesco, sendo embrulhadas em lençóis protetores. O ataque desta manhã certamente suscitará preocupações, mas não foi uma surpresa”.

.

 

.

 

.

G1

mais lidas