Diário de São Paulo
Siga-nos

Guta Stresser revela ter esclerose múltipla e detalha a reação com o diagnóstico: ‘Tive muito medo’

Imagem Guta Stresser revela ter esclerose múltipla e detalha a reação com o diagnóstico: ‘Tive muito medo’

Publicado em 20/06/2022, às 00h00 - Atualizado às 17h58 Redação


A atriz Guta Stresser, 49, conhecida pela personagem Bebel em “A Grande Família” (TV Globo), revelou recentemente que foi diagnosticada com esclerose múltipla.

Em entrevista à revista VEJA, a artista detalhou sua reação ao receber a confirmação da doença.

“Perdi o chão na mesma hora. Nem sabia direito o que era aquilo, só que afetava o cérebro, e só isso me soou aterrorizante”, disse. “Tive muito medo. Pela minha cabeça se desenrolava um filme em que eu ficava completamente incapacitada. Passei a ter um pesadelo recorrente: imóvel, sem conseguir falar, tentava avisar meu companheiro. Com a ajuda do neurologista, entendi que diagnóstico não é sentença e que, apesar da doença não ter cura, ela tem, sim, tratamento”, acrescentou Guta.

Segundo a atriz paranaense, os primeiros sintomas da doença surgiram durante sua participação no “Dança dos Famosos”, em 2020. Nos ensaios, ela notou algumas manifestações estranhas no sistema cognitivo, especialmente em sua capacidade de memorizar movimentos, o que a fez esquecer diversas coreografias logo depois de treiná-las.

“Parecia tudo normal até que, durante os ensaios (da Dança dos Famosos), eu passava a coreografia e, quando terminava, não lembrava de mais nada, nada mesmo. Não entendia o motivo, sempre tive facilidade para essas coisas. Mas meu quadro foi se agravando. Comecei a esquecer palavras bem básicas, como copo e cadeira. Se eu passava duas horas parada assistindo a um filme na TV, logo sentia dores musculares”, explicou.

A situação ficou ainda mais preocupante quando Guta levou um tombo na sala de casa. Então, decidiu procurar ajuda médica para detectar o problema. Depois de uma ressonância, os especialistas confirmaram o desenvolvimento de esclerose múltipla.

Após receber o diagnóstico, Guta iniciou o tratamento. Ela contou que começou a tomar um medicamento caro, que consegue por meio do SUS (Sistema Único de Saúde) e fez algumas mudanças de atividades em sua rotina. Mas, sem perder a qualidade de vida.

“Hoje pratico ioga, mudei a alimentação para melhor e faço todo tipo de exercício para o cérebro, de leitura de livros a palavras cruzadas”.

Apesar do susto e dos desafios que tem pela frente, Guta alegou que se mantém confiante em relação ao tratamento contra a doença e as mudanças em sua vida.

“Sei que vou ter de conviver com a esclerose múltipla para o resto da vida. Que ela seja longa e plena. Cada dia que passa tem aquele gosto de uma pequena vitória”.

Compartilhe