Diário de São Paulo
Siga-nos

Exames confirmam que macaco morreu com febre amarela

Exames confirmaram que um macaco morreu por causa da febre amarela neste mês em Potirendaba (SP). Este é o terceiro caso da doença em macacos neste ano na

Exames confirmam que macaco morreu com febre amarela
Exames confirmam que macaco morreu com febre amarela

Redação Publicado em 26/10/2016, às 00h00 - Atualizado às 18h02


Macaco foi encontrado morto em mata de Potirendaba (SP).
Secretaria de Saúde intensificou nebulização na cidade.

Exames confirmaram que um macaco morreu por causa da febre amarela neste mês em Potirendaba (SP). Este é o terceiro caso da doença em macacos neste ano na região noroeste paulista. Os outros dois casos foram em Bady Bassitt (SP) e São José do Rio Preto (SP).

Em outras cidades, macacos também foram encontrados mortos com suspeita de febre amarela. Em Cedral (SP), dois macacos foram encontrados mortos e foram feitos exames para comprovar se havia febre amarela. Em Urupês (SP), Jaci (SP) e Mendonça (SP) também foram encontrados macacos mortos, mas sem exames para confirmação.

Em Potirendaba, oito macacos de espécie bugio foram encontrados mortos no começo do mês em uma mata. Por causa do estado de decomposição dos corpos, em apenas um animal foi possível colher amostras de sangue para exames.

Assim que o Instituto Adolfo Lutz confirmou que o macaco encontrado morto estava mesmo com a febre amarela, a Secretaria Municipal de Saúde de Potirendaba iniciou ações de bloqueio contra a doença. A principal medida foi vacinar os moradores de bairros que ficam próximos a área onde viviam os macacos.

Antes mesmo de Potirendaba registrar um caso positivo, a cidade já estava em alerta. Isso porque o município vizinho,  de Bady Bassit, um homem de 38 morreu por causa da doença.
Em São José do Rio Preto (SP) um macaco da raça bugio  apareceu morto em uma mata, na região sul da cidade. O exame deu positivo para febre amarela e a Secretaria de Saúde fez uma vacinação de emergência em bairros próximos a mata. Moradores receberam a visita de agentes de saúde e as casas foram nebulizadas contra o mosquito Aedes aegypti.

E é justamente este trabalho de nebulização que vem sendo feito em Potirendaba. Os agentes estão percorrendo as casas em busca de criadouros do mosquito que além da dengue, chikungunya e o vírus da zika, também transmite a febre amarela.

Compartilhe  

Tags

últimas notícias