Diário de São Paulo
Siga-nos

Aumento de roubos e furtos assusta moradores de Guapiaçu

O aumento de roubos e furtos tem assustado moradores de Guapiaçu (SP), que tem apenas 20 mil habitantes. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública

Aumento de roubos e furtos assusta moradores de Guapiaçu
Aumento de roubos e furtos assusta moradores de Guapiaçu

Redação Publicado em 28/10/2016, às 00h00 - Atualizado às 18h30


Roubos aumentaram quatro vezes mais neste ano com relação a 2015.
Já furtos saltaram de 114 para 137 casos de janeiro a agosto deste ano.

O aumento de roubos e furtos tem assustado moradores de Guapiaçu (SP), que tem apenas 20 mil habitantes. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o número de roubos aumentou quatro vezes mais neste ano com relação ao ano passado. De janeiro a agosto deste ano foram registrados 13 roubos. Assim como a quantidade de furtos, que de janeiro até agosto deste ano foram registrados 137 casos contra 114 no mesmo período de 2015.

De acordo com a polícia, há apenas uma viatura para patrulhar um raio de 326 quilômetros de extensão. O sargento da Polícia Militar, Alexandre Augusto Cláudio Mendes, responsável pela base da PM na cidade, diz que apesar do aumento dos casos de furtos e roubos, a polícia tem trabalhado no combate à criminalidade.

“Estamos enfatizando o policiamento nas áreas críticas, principalmente na área central da cidade com abordagens, operações e bloqueios. A população pode confiar na Polícia Militar, mas também peço ajuda à população para caso alguém observe um veículo, alguém, algo suspeito ou estranho que ligue para a Polícia Militar.”

A loja da comerciante Fabiana Goes, que fica no Centro da cidade, já foi furtada quatro vezes. Uma no fim de dezembro de 2015 e as outras três vezes neste ano. “Levavam camisetas, bermudas, o que dava para levar eles levavam. O prejuízo de trocar vitrine e vidro é grande, infelizmente”, diz.

Uma moradora, que prefere não se identificar, está bem assustada. Na semana passada, ladrões arrombaram a porta da casa dela e levaram quase R$ 20 mil em joias. “Vem uma pessoa e invade sua casa, no momento em que você está trabalhando, e levam o que adquiriu com muito esforço e com muita luta. O que ficou em nós foi o pânico, eles estão soltos e nós coagidos dentro de casa”, afirma.

No mesmo bairro, outros moradores também já tiveram a casa invadida por ladrões. A costureira Gilda Bertenha conta que pelos menos três casas da vizinhança já foram furtadas.

A artista plástica Marta Soto conta que estava dentro de casa nas duas vezes em que assaltantes pularam o muro de sua casa. Segundo ela, só não entraram por causa dos cachorros. “Um deles pulou o muro, mas já deu de cara com o cachorro, que o mordeu. O assaltante foi embora, mas o cachorro mordeu mesmo. Não temos segurança, aliás a segurança na cidade é muito precária.”

Compartilhe  

últimas notícias