Diário de São Paulo
Siga-nos
Se sentindo sem tempo?

Planeta passa por dia mais curto da história recente e ciência explica o porquê

Dia 29 de julho, sexta-feira, foi o dia mais curto já registrado, desde 1960

Dia 29, sexta-feira, foi o dia mais curto de que se registra, desde 1960. - Imagem: Pixabay
Dia 29, sexta-feira, foi o dia mais curto de que se registra, desde 1960. - Imagem: Pixabay

Publicado em 03/08/2022, às 12h29 João Perossi


O Planeta Terra completou uma volta em tempo recorde nessa sexta-feira (29), segundo relógios de precisão atômicos. Os registros da duração dos dias na Terra ocorrem desde 1960.

No dia 29 de julho de 2022, o dia mais curto da história recente foi registrado com 1,59 milisegundos a menos que as exatas 24 horas, segundo dados do Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra (IERS).

A diferença é muito pequena para ser perceptível, mas pesquisadores já investigam o motivo da velocidade mais alta da rotação do planeta, que segue contra a tendência de diminuição de velocidade por causa de interferências gravitacionais da Lua.

Segundo a Nasa, no período Jurássico os dias na Terra duravam cerca de 23 horas, enquanto em 1820 o dia tinha exatas 24 horas. A medição precisa do período de rotação de nosso planeta é importante para serviços de geolocalização modernos, que são baseados em satélites na órbita terrestre.

Já sobre as causas da velocidade adicional de sexta-feira, pesquisadores não possuem ainda uma resposta concreta, mas fatores como o clima global podem contribuir com a rotação da Terra. Segundo especialistas, o fenômeno meteorológico El Niño pode atrasar a rotação do nosso planeta por conta de seus ventos fortes.

Os institutos de observação e pesquisa precisam ainda investigar pois mais tempo para saber se esses dias mais rápidos se tornarão uma tendência, mas há a expectativa de que um "bissexto negativo" possa ser adotado para corrigir o horário global.

Compartilhe