Diário de São Paulo
Siga-nos

'China não ficará de braços cruzados', diz vice-ministro a embaixador dos EUA

Em resposta à chegada de Nancy Pelosi em Taiwan, governo chinês convocou embaixador norte-americano para reunião

'China não ficará de braços cruzados', diz vice-ministro a embaixador dos EUA - Imagem:  Ministério de Relações Exteriores da República Popular da China/中华人民共和国外交部
'China não ficará de braços cruzados', diz vice-ministro a embaixador dos EUA - Imagem: Ministério de Relações Exteriores da República Popular da China/中华人民共和国外交部

Publicado em 03/08/2022, às 07h38 G1


A China convocou, nesta terça-feira (2), o embaixador dos Estados Unidos em Pequim, Nicholas Burns, para uma reunião com Xie Feng, vice-ministro de Relações Exteriores do país. O convite é uma resposta à chegada de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes norte-americana, em Taiwan.

Durante a conversa, Feng expressou "fortes protestos" pela visita da legisladora americana à ilha autônoma, que a China considera parte de seu território. "A medida é extremamente ultrajante e as consequências são extremamente sérias", disse Xie à agência de notícias estatal chinesa Xinhua. "A China não ficará de braços cruzados."

Xie disse que os Estados Unidos "pagarão o preço de seus próprios erros" e pediu para Washington D.C. resolver a questão imediatamente, tomando medidas práticas para desfazer os efeitos adversos causados ​​pela visita de Pelosi.

"Os Estados Unidos não devem ir mais longe no caminho errado, aumentando as tensões e tornando a situação no Estreito de Taiwan e das relações da entre China e EUA irreparáveis", afirmou o vice-ministro da China.

"Taiwan é Taiwan da China, e Taiwan acabará voltando para os braços da pátria. O povo chinês não tem medo dos fantasmas, da pressão e do mal", pontuou Xie a Burns.

Não houve comentários imediatos de Washington D.C.

Compartilhe