Diário de São Paulo
Siga-nos
Deu ruim!

Mulher perde indenização trabalhista após comemorar processo com dança no TikTok; veja vídeo

A justiça entendeu que a moça agiu de má-fé

A justiça entendeu que a moça agiu de má fé - Imagem: reprodução TikTok
A justiça entendeu que a moça agiu de má fé - Imagem: reprodução TikTok

Publicado em 16/07/2022, às 14h05 Jessica Anjos


Uma mulher publicou um vídeo na rede social TikTok após uma vitória em um processo trabalhista, porém após o post, ela acabou perdendo a indenização. 

O caso aconteceu na 8ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, no estado de São Paulo. 

Na ação judicial, a vendedora estava processando a empresa, do ramo de jóias, para conseguir reconhecer o vínculo empregatício, além de danos morais por omissão de registro e por tratamento considerado humilhante durante o serviço. 

A causa estava ganha, porém sofreu uma reviravolta após o post no TikTok. No vídeo, ela aparece com suas duas testemunhas dançando e rindo com a legenda: "Eu e minhas amigas indo processar a empresa tóxica". 

@raphaelcardoso.adv Dancinha no tiktok faz mulher perder o processo. Seria cômico, se não fosse trágico. E você, concorda que o video comprovou amizade íntima? #dancinha#processo#justica#testemunha♬ som original - raphaelcardoso.adv

A desembargadora-relatora do acórdão, Silvia Almeida Prado Andreoni, considerou a publicação 'desrespeitosa'e destacou a proximidade demonstrada entre a moça e as testemunhas do caso. O que, segundo ela, indica de forma clara que são amigas e tinham, no mínimo, animosidade em relação à vendedora.

"Trata-se de uma atitude jocosa e desnecessária contra a empresa e, ainda, contra a própria Justiça do Trabalho. Demonstra, ainda, que estavam em sintonia sobre o que queriam obter, em clara demonstração de aliança, agindo de forma temerária no processo, estando devidamente configurada a má-fé", declarou a desembargadora na decisão judicial.

As três moças que aparecem no vídeo foram condenadas por litigância de má-fé, o que significa uma conduta abusiva ou corrupta realizada por uma das partes do processo. Elas terão que pagar uma multa de 2% sobre o valor na causa da empresa.

Compartilhe