Diário de São Paulo
Siga-nos

Corpos de Dom Phillips e Bruno Pereira foram encontrados, diz esposa do jornalista britânico

A informação ainda não foi confirmada pelas autoridades brasileiras

Divulgação/Funai e Reprodução/Twitter
Divulgação/Funai e Reprodução/Twitter

Publicado em 13/06/2022, às 00h00 - Atualizado às 12h29 Redação


A esposa do jornalista britânico Dom Phillips informou nesta segunda-feira (13) que os corpos dele e do indigenista Bruno Ferreira foram localizados. No entanto, a informação não foi ratificada pelas autoridades.

Os dois estão desaparecidos há mais de uma semana na Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas.

De acordo com Alessandra Sampaio, companheira de Dom Phillips, a novidade partiu da Polícia Federal por meio de uma ligação, detalhando a localização dos dois corpos. No entanto, os investigadores não definiram se eram de Dom Phillips e Bruno Pereira, pois ainda não foi realizada uma perícia para verificar as identidades deles.

Ela contou também que a Embaixada Britânica informou aos irmãos de Dom Phillips a localização dos corpos do jornalista e do indigenista, além de ter confirmado a informação apresentada pela Polícia Federal.

Segundo o jornal inglês The Guardian, para o qual o Phillips trabalhou como correspondente, a família do jornalista recebeu a informação sobre a localização dos corpos pelo embaixador brasileiro no Reino Unido.

“Ele não descreveu a localização e disse que foi na floresta e que estavam amarrados a um árvore e ainda não haviam sido identificados”, explicou Paul Sherwood, cunhado de Phillips, ao Guardian.

Bruno Pereira e Dom Philips partiram para uma expedição pela Floresta Amazônica no início do mês. Eles foram vistos pela última vez no dia 5 de junho, quando chegaram à comunidade São Rafael. Em seguida, partiram para Atalaia do Norte, uma viagem que dura cerca de 2 horas, mas não chegaram ao destino.

Depois do anúncio do desaparecimento dos dois, a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) iniciou uma operação de buscas junto com as autoridades locais.

Bruno Pereira tinha experiência em viagens pela floresta, além de conhecer bem diversas rotas da região, pois já atuou como coordenador regional da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Atalaia do Norte por muitos anos.

Ele e o jornalista britânico faziam expedições juntos na região amazônica desde 2018.

Dom Phillips residia em Salvador (BA) e produziu reportagens sobre os principais acontecimentos do Brasil há mais de 15 anos para veículos de imprensa internacionais, como “Washington Post”, “New York Times”, “Financial Times” e “The Guardian”.

No último domingo (12), as equipes de busca encontraram um cartão de saúde e outros pertences de Pereira, além de uma mochila com roupas pessoais de Phillips na área no interior do Amazonas onde o jornalista inglês e o indigenista desapareceram.

As autoridades informaram também que os objetos foram achados próximos da residência de Amarildo Costade Oliveira, até então o único suspeito de envolvimento no sumiço dos dois homens, que se encontra preso.

Compartilhe