Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Polícia

Ex-comandante-geral da Polícia Militar de SP é nomeado chefe do serviço funerário da capital

Publicado

em

Governo enviou 300 servidores para ajudar em buscas no Amazonas

O prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), nomeou para o cargo de superintendente do serviço funerário municipal o coronel Fernando Alencar Medeiros, que deixou o posto de comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo na última semana, por determinação do governador Rodrigo Garcia (PSDB). A nomeação foi publicada na edição de sábado (7) do Diário Oficial.

De acordo com a lei que organiza o serviço funerário na cidade de São Paulo, o superintendente é de livre nomeação e demissão pelo prefeito da capital, e deve ser alguém com formação universitária ou de comprovada experiência e capacidade profissional. Formado em Direito e Educação Física, o coronel Alencar atende ao primeiro requisito.

O superintendente é um membro obrigatório do Conselho Deliberativo e Fiscal do serviço funerário do município. Junto a ele, outras três pessoas (uma delas o presidente do Conselho) são responsáveis pela direção da autarquia.

Para compor a nova diretoria, a gestão municipal nomeou como presidente Daniel Gustavo Falcão Pimentel dos Reis, advogado e doutor em Direito, e como demais membros Marcela Fernandes Lassi de Oliveira Lourenço, coordenadora de auditoria geral da Controladoria Geral do município, e Daniele Dobner dos Santos, assessora da Corregedoria Geral municipal.

Dentre as atribuições do superintendente do serviço funerário, estão:

  • Admitir e dispensar o pessoal da autarquia;
  • Movimentar os fundos financeiros, emitir títulos de crédito e autorizar pagamentos, assinando tudo em conjunto com o responsável pelo setor de contabilidade;
  • Elaborar e submeter para a aprovação do Conselho os programas anuais de trabalho e seus respectivos orçamentos;

 

Questionada pelo g1, a prefeitura de São Paulo afirmou que a escolha do coronel para o cargo se deu depois que Eliana Gomes pediu exoneração do cargo de superintendente.

“As mudanças em cargos de confiança fazem parte da dinâmica da administração pública e constituem prerrogativa dos gestores”, disse a prefeitura, em nota.

.

.

.

.

.

.

G1

mais lidas