Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro é dono de dois apartamentos simples na Zona Oeste do Rio

Publicado

em

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro é dono de dois apartamentos simples na Zona Oeste do Rio

Fabrício Queiroz foi citado em relatório do Coaf por movimentar mais de R$ 1,2 milhão em um ano. Imóveis ficam em Jacarepaguá e custam cerca de R$ 200 mil cada.

O ex-motorista do deputado estadual Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, apesar de movimentar milhões na conta, é dono de dois imóveis simples na Zona Oeste do Rio.

Pesquisa feita pela GloboNews em cartórios da cidade mostrou que nos últimos 20 anos Fabrício — que movimentou R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017, segundo um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) — adquiriu dois apartamentos.

O levantamento também revelou que não há imóveis no nome da mulher dele, Marcia Oliveira de Aguiar, e das duas filhas, Evelyn Melo de Queiroz e Nathalia Melo de Queiroz.

O primeiro imóvel no nome de Queiroz foi comprado em 1999 e fica em um condomínio na Praça Seca. O apartamento mede 65 metros quadrados e está avaliado em pouco mais de R$200 mil.

Em julho deste ano, Fabrício adquiriu mais um apartamento. O imóvel fica no bairro da Taquara, também na Zona Oeste do Rio, e foi comprado enquanto ele ainda era assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro. Este segundo imóvel, que custa cerca de R$ 280 mil, foi financiado pela Caixa Econômica Federal e ainda está em construção. A previsão de entrega, segundo a construtora, é fevereiro de 2019.

A GloboNews não conseguiu contato com Fabrício Queiroz e a família dele.

Movimentações suspeitas

O nome de Fabrício Queiroz aparece no relatório do Coaf que integrou a investigação da Operação Furna da Onça, um desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Segundo as informações do documento, ele movimentou R$ 1,2 milhão em suas contas durante um ano. As transações foram consideradas atípicas, e entre elas há o repasse de R$ 24 mil para Michelle Bolsonaro, futura primeira-dama. Sobre este pagamento, o presidente eleito afirmou que era a quitação de um empréstimo de R$ 40 mil feito por ele a Queiroz.

O ex-assessor foi exonerado do gabinete de Flávio Bolsonaro em outubro e ganhava R$ 23 mil por mês. Ele era motorista de Flávio Bolsonaro e também tinha vínculo com a Polícia Militar.

Flávio Bolsonaro, que não é investigado, afirma que não fez “nada de errado” e que espera que o caso seja esclarecido.

De acordo com o deputado, que se elegeu senador, Queiroz optou por não falar com a imprensa e dará explicações ao Ministério Público.

mais lidas