Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Dia a Dia

Estado de SP chega ao 3º dia da fase vermelha temporária para frear avanço da Covid-19; veja o que abre e fecha neste domingo

Publicado

em

Estado de SP chega ao 3º dia da fase vermelha temporária para frear avanço da Covid-19; veja o que abre e fecha neste domingo

Governo reclassificou todo o estado para a fase mais restritiva do plano de contenção ao coronavírus durante seis dias. Medidas começaram a valer na sexta (25), seguiram no sábado (26) e terminarão neste domingo (27). Depois voltarão novamente em 1°, 2 e 3 de janeiro de 2021.

 

 

O estado de São Paulo chega neste domingo (27) ao terceiro dia seguido da fase vermelha temporária, medida mais restritiva do plano de contenção ao coronavírus. O governo João Doria (PSDB) a adotou para tentar conter o avanço da pandemia durante a quarentena.

As autoridades de saúde demonstraram preocupação após o aumento nos números de casos e de mortes por causa da Covid-19 nas últimas semanas. Diante disso, reclassificaram todas as regiões que estavam na fase amarela, fazendo com que elas regredissem à fase vermelha.

A medida mais rígida contra a doença começou na madrugada de sexta-feira (25), seguiu durante todo o sábado (26) e terminará no fim da noite deste domingo.

Nas próximas segunda-feira (28), terça (29), quarta (30) e quinta (31), todas as regiões do estado, com exceção à região de Presidente Prudente, retomam temporariamente a fase amarela. Prudente permanecerá na vermelha durante esses dias.

Mas a fase vermelha do Plano São Paulo voltará novamente para todo o estado no feriado do Ano Novo, nos dias 1º, 2 e 3 de janeiro de 2021. Depois, o governo fará uma nova reclassificação.

Essa medida mais dura afeta principalmente comércios e serviços em geral. Proibindo o funcionamento de shoppings, bares, restaurantes, academias, parques etc. Apenas os serviços essenciais, como saúde, alimentação, abastecimento e transporte etc, poderão funcionar nessa etapa mediante protocolos de higiene de distanciamento social.

Veja abaixo o que abre e fecha nessa fase vermelha.

Veja o que não pode funcionar na fase vermelha do Plano São Paulo — Foto: Reprodução/EPTV

Veja o que não pode funcionar na fase vermelha do Plano São Paulo — Foto: Reprodução/EPTV

Regras da fase vermelha

Podem funcionar nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1º, 2 e 3 de janeiro:

  • Hospitais
  • Clínicas de saúde
  • Farmácias;
  • Mercados;
  • Padarias;
  • Açougues;
  • Postos de combustíveis;
  • Lavanderias;
  • Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô;
  • Transportadoras, oficinas de veículos
  • Atividades religiosas
  • Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria.
  • Bancos
  • Pet shops

 

Não abrem nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1º, 2 e 3 de janeiro:

  • Shoppings;
  • Lojas;
  • Concessionárias;
  • Escritórios;
  • Bares, restaurantes e lanchonetes (exceto para delivery);
  • Academias;
  • Salões de beleza e barbearias;
  • Cinemas, teatros e outros estabelecimentos culturais;
  • Parques públicos

 

Já a fase amarela permite, entre outras coisas, a abertura de bares, restaurantes, academias, salões de beleza e do comércio.

18 cidades descumprem

 

Apesar de o governo ter determinado que a fase vermelha valerá por seis dias para todas as regiões do estado, 18 cidades paulistas deixaram de cumpri-la. Entre elas estão: Mogi das Cruzes e Cotia, na Grande São Paulo, e Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos, São Vicente, São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba, no litoral paulista.

Apesar disso, muitas cidades litorâneas proibiram festejos na praia durante o Natal e manterão a mesma restrição no Ano Novo.

Em nota divulgada ainda na noite de sexta-feira (25), o governo estadual reiterou que “espera que os municípios respeitem a classificação do Plano SP”

Aglomerações em festas, bares e lojas

 

Mesmo assim houve descumprimento das regras da fase vermelha até na capital.

Na madrugada de sábado, a fiscalização conjunta da Guarda Civil Metropolitana (GCM), Polícia Militar e agentes de saúde flagrou cerca de 1.500 pessoas numa festa clandestina dentro de uma casa noturna na Zona Oeste de São Paulo. A maioria dos frequentadores estavam sem máscaras e aglomerados. O lugar acabou fechado e multado.

Pela manhã de sábado, algumas lojas na região central e da Zona Oeste da cidade mantiveram o funcionamento, apesar das restrições impostas.

E na tarde de sábado, mais de 120 pessoas se aglomeraram em um bar na Zona Norte da capital. Como a fase vermelha proíbe o funcionamento de bares e outros estabelecimentos, a Vigilância Sanitária do município multou o local.

Também foram registrados ‘pancadões’ com música alta e aglomeração de pessoas em comunidades de São Paulo na madrugada de sexta. Ainda na noite de Natal, motociclistas fizeram um ‘rolezinho’ com suas motos fazendo barulho por ruas da cidade.

Casos e mortes por covid

 

 

O governador João Doria publicou em seu Twitter que voltará a São Paulo após seu vice ser diagnosticado com Covid-19 — Foto: Reprodução/Redes sociais

O governador João Doria publicou em seu Twitter que voltará a São Paulo após seu vice ser diagnosticado com Covid-19 — Foto: Reprodução/Redes sociais

 

A reclassificação do estado para a fase vermelha foi anunciada na terça-feira (22) pelas autoridades. Um dos objetivos do governo com a medida é o de evitar a propagação do vírus durante as festas de fim ano.

Desde o início da pandemia, em março, até a manhã de sábado, o estado de São Paulo registrou 1.423.340 casos de coronavírus e 45.808 mortes em razão da doença.

Segundo o governo de São Paulo, até sábado as taxas de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em hospitais eram de 66% na Grande São Paulo e 61,9% no estado. O número de pacientes internados estava em 10.264, sendo 5.509 em enfermaria e 4.655 em unidades de terapia intensiva.

Atualmente, todos 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 604 com um ou mais óbitos.

Na quinta-feira (24), o governador João Doria chegou a São Paulo depois de ter voltado de uma viagem que fez a Miami, no dia anterior, na quarta-feira (23).

Ele afirmou nas suas redes sociais que tinha ido aos Estados Unidos com a família para participar de conferências, mas desistiu após saber que o vice-governador Rodrigo Garcia pegou covid e não poderia ficar à frente do governo na ausência de Doria.

Volta à fase amarela

 

Região de Presidente Prudente foi rebaixada para a fase vermelha, a mais restritiva, do Plano São Paulo — Foto: Reprodução

Região de Presidente Prudente foi rebaixada para a fase vermelha, a mais restritiva, do Plano São Paulo — Foto: Reprodução

 

Até quinta-feira quase todo o estado estava na fase amarela. Com exceção da região de Presidente Prudente que já figurava na fase vermelha.

A mudança só não será temporária para Presidente Prudente. Por conta do avanço nos casos e da falta de leitos de UTI, a região passa a ficar, até a próxima reclassificação, na fase vermelha, a mais restritiva do plano de flexibilização econômica e de saúde.

O governo também anunciou que em janeiro nenhuma região vai para fase verde, a menos restritiva, e que a reclassificação do estado, que estava marcada para o próximo dia 4, foi adiada para o dia 7 de janeiro.

As mudanças foram divulgadas pelos integrantes do Centro de Contingência da Covid-19, na sede do Instituto Butantan, na terça passada.

Também em 7 de janeiro é o prazo final para divulgação dos resultados dos testes com pacientes voluntários para a CoronaVac, vacina que está sendo desenvolvida pelo Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

.

.

.

G1 -Globo

mais lidas