Diário de São Paulo
Siga-nos

Segurança morto durante assalto em shopping do Rio aceitou plantão porque precisava de dinheiro

Imagem Segurança morto durante assalto em shopping do Rio aceitou plantão porque precisava de dinheiro

Publicado em 26/06/2022, às 00h00 - Atualizado às 14h01 Redação


O segurança Jorge Luiz Antunes, de 49 anos, não estava escalado para trabalhar na noite deste sábado (25), mas aceitou o pedido de um amigo. Ele iria receber R$ 180 pela noite de serviço. Jorge foi morto durante o assalto a uma joalheria do Village Mall, shopping de luxo da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Segundo a sobrinha da vítima, Kênia Antunes, Jorge estava desempregado e atuava como freelancer de segurança no shopping há cerca de um ano.

Kênia diz que soube do ocorrido através de um colega de trabalho de Jorge. Ele teria dito para a família ir para o IML ainda na noite de sábado, mas o corpo ainda estava no shopping. Segundo a sobrinha, ao chegarem ao centro comercial, foram impedidos de ver o corpo e não tiveram explicações sobre o desaparecimento dos documentos e do celular da vítima.

A família de Jorge esteve no Instituto Médico-Legal (IML) neste domingo (26) para liberar o corpo.

Sequência de imagens mostra suspeitos de roubar joalheria. Uma mulher foi feita refém na fuga — Foto: Reprodução

Sequência de imagens mostra suspeitos de roubar joalheria. Uma mulher foi feita refém na fuga — Foto: Reprodução

Segundo testemunhas, o confronto ocorreu por volta das 18h, com dezenas de tiros, correria e lojas fechadas. Agentes da 16ªDP (Barra da Tijuca) e do Batalhão de Operações Especiais foram acionados. Os policiais informaram que a ação criminosa contou com 12 assaltantes em seis motos. Todos estavam armados com pistolas.

Segundo a Polícia Civil, informações preliminares mostram que, após levarem as joias, os criminosos fizeram reféns para sair do shopping. Houve tiros e o segurança morreu. As Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) investiga o caso.

A assessoria do shopping afirmou que está colaborando com as investigações.

Nas redes sociais, clientes que estavam no interior do shopping no momento do tiroteio relataram momentos de pânico.

“Grande movimentação, armamento pesado, muito tiro e correria”, escreveu um usuário do Twitter que afirmou estar no local.

g1
Compartilhe