Diário de São Paulo
Siga-nos
EMBOSCADA

Técnica em enfermagem era agiota e polícia descobre o motivo dela ter sido morta

Dayanne Januário emprestava dinheiro e cobrava juros de até 50%

Daynne era agiota e cobrava até juros de até 50% - Imagem: reprodução redes sociais
Daynne era agiota e cobrava até juros de até 50% - Imagem: reprodução redes sociais

Publicado em 04/08/2022, às 18h44 Jair Viana


A técnica e enfermagem e agiota Dayanne da Cunha Januário da Silva, 35 anos, foi encontrada morta na manhã desta quinta-feira (4).

Ela foi vitima de uma emboscada preparada por dois homens que trabalhavam com ela, e já estão presos, agenciando clientes para empréstimos que ela fazia. Um terceiro envolvido também foi preso. Dayanne emprestava dinheiro com juros que chegavam a 50%, segundo a Polícia. 

Policiais de Brasília prenderam o terceiro homem envolvido no crime. Imagens divulgadas pela Polícia ajudaram a esclarecer o crime. Daynne estava desaparecida há uma semana. Ela havia saído para fazer uma cobrança. O terceiro rapaz preso, conhecido por “Negão” teria sido usado para atrair a vítima.

Pelas investigações, a Polícia descobriu que dois dos assassinos trabalhavam na busca de pessoas interessadas em empréstimo. Desse valor negociado, os dois ficavam com 60% e 40% eram de Dayanne.

Os parceiros teriam simulado o agenciamento de alguns clientes para pegar valores mais elevados. No total, segundo a família de Dayanne, esses empréstimos somavam cerca de R$ 80 mil. Eles temiam cobrança e até retaliações e decidiram matar a agiota.

O homem preso nesta quinta-feira, segundo policiais, teria simulado um assalto contra Dayanne e seus dois parceiros. Um tiro na cabeça da mulher foi disparado por “Negão”. Ela morreu na hora e teve seu corpo abandonado.

Os dois que trabalhavam com a agiotaforam presos por ocultação de cadáver e o roubodo carro. Negão foi preso por assassinato.

Compartilhe